icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
01/07/2014
15:35

A Argentina sofreu, suou muito, mas conseguiu vencer a Suíça na prorrogação, por 1 a 0, com gol de Di María, na tarde desta terça-feira, em São Paulo. Com a vitória nas oitavas, a Albiceleste avançou às quartas de final da Copa. Com apoio da torcida brasileira presente no estádio, os helvéticos tiveram boas chances de balançar a rede, mas vacilaram e acabaram derrotados, fora do Mundial.

O adversário dos hermanos na próxima fase sai do confronto entre Bélgica x Estados Unidos. O jogo das quartas será realizado no sábado, às 13h, em Brasília.

RECORDE

A partida cravou o maior público da Arena Corinthians nesta Copa, totalizando 63.255 torcedores. A Argentina tem atraído grande público para seus jogos. Logo na estreia, diante da Bósnia, o time de Lionel Messi levou um total de 74.738 torcedores ao Maracanã.  Por enquanto, os maiores públicos da Arena Corinthians são:

Brasil x Croácia - 62.103
Uruguai x Inglaterra - 62.575
Holanda x Chile - 62.996
Bélgica x Coreia - 61.397
Argentina x Suíça - 63.255

SUÍÇA DESPERDIÇA DUAS BOAS CHANCES DE GOL

A Argentina tomou a responsabilidade de tomar conta do jogo no primeiro tempo. Mesmo sem brilho, os hermanos chegaram mais vezes ao gol adversário. Não houve, porém, chances claras de gol para a Albiceleste, que tinha Messi apagado. La Nati abusou das faltas para frear o ímpeto dos sul-americanos até os 25 minutos. Depois, a Suíça passou a chegar com mais perigo. Os helvéticos, aliás, tiveram as duas melhores oportunidades no primeiro tempo, com Xhaka e Drmic, em jogadas criadas pelo habilidoso e criativo Shaqiri. Drmic, aliás, ficou cara a cara com o goleiro Romero, mas tentou, sem sucesso, encobrir o camisa 1. Com Messi e Lavezzi bem marcados, o primeiro tempo terminou no 0 a 0.

Di Maria foi o autor do gol que salou a Argentina e garantiu vaga nas quartas (AFP)

ARGENTINA VOLTA NA PRESSÃO

Depois de um primeiro tempo sem criar boas oportunidades de gol, a Argentina voltou mais disposta a furar o bloqueio suíço, com Messi mais presente. Rojo e Higuaín chegaram perto de marcar, mas não conseguiram passar por Benaglio. O gol parecia ser uma questão de tempo, porém os helvéticos conseguiam se segurar, na expectativa de um contra-ataque fatal. O jogo, então, virou uma espécie de ataque, da Argentina, contra defesa, da Suíça, com muita participação da torcida. Enquanto os brasileiros apoiavam os europeus, os argentinos gritavam alto em apoio à seleção. Contudo, sem inspiração de ambas as partes, o jogo caminhou para a quase sempre dramática prorrogação.

Incansável: o gol foi de Di María, mas a jogada foi dele, Lionel Messi (Foto: AFP)

MAIS 30 MINUTOS DRAMÁTICOS E UM GOL

Não bastassem os mais de 90 minutos de muita emoção, a partida teve ainda uma prorrogação dramática. Com muita raça e entrega, a Argentina buscava o gol, mas sem organização. Acabou esbarrando na defesa rival. O curioso é que, como a Suíça tocava a bola para gastar o tempo e levar a decisão para os pênaltis, a torcida brasileira começou a gritar 'Olé', para irritação dos argentinos, que passaram a descontar no habilidoso Shaqiri.

O segundo tempo da prorrogação foi marcado pelo desgaste físico dos jogadores. Messi e Shaqiri, cada um do seu lado, chamavam o jogo àquela altura. Coube, então, ao camisa 10 da Argentina o papel de protagonista novamente. Aos 12 minutos do segundo tempo da prorrogação, Messi achou Di María livre na ponta direita. O meia chutou cruzado e fez o gol da vitória: 1 a 0, suado e sofrido. No fim, Dzemaili quase empatou, com uma cabeçada na trave. A bola ainda voltou e bateu na perna dele, mas foi para fora, para alívio de toda a Argentina.

FICHA TÉCNICA:

ARGENTINA 1 X 0 SUÍÇA

DATA/HORA: 1/7/2014, às 13h
ESTÁDIO: Arena Corinthians, São Paulo (SP)
ÁRBITRO: Jonas Eriksson (SWE)
AUXILIARES: Mathias Klasenius (SUE) e Daniel Warnmark (SUE)
PÚBLICO: 63.255
CARTÕES AMARELOS: Xhaka e Fernandes (SUI); Rojo, Di María e Garay (ARG)
GOL: Di María, aos 12'/2°T da prorrogação

ARGENTINA: Romero, Zabaleta, Garay, Fede Fernández e Rojo (Basanta, aos 15'/1°T da prorrogação); Mascherano, Gago (Biglia, intervalo da prorrogação) e Di María; Lavezzi (Palacio, 28'/2°T), Messi e Higuaín. Técnico: Alejandro Sabella

SUÍÇA: Benaglio, Lichtsteiner, Djourou, Schär e Ricardo Rodriguez; Behrami, Inler, Xhaka (Fernandes, aos 20'/2°T), Mehmedi (Dzemaili, aos 7'/2°T da prorrogação) e Shaqiri; Drmic (Seferovic, aos 36'/2°T). Técnico: Ottmar Hitzfeld