icons.title signature.placeholder Valdomiro Neto
30/06/2014
07:00

Em 82, Argélia surpreendeu a Alemanha na primeira fase (FOTO: AFP)

O dia 16 de junho de 1982 é o da maior vitória da história do futebol argelino. No estádio El Molinón, en Gijón, a seleção africana derrotava a poderosa Alemanha por 2 a 1, na Copa do Mundo da Espanha. Um resultado que só não teria impacto maior porque na última rodada os germânicos superariam os austríacos por 1 a 0 em uma partida que ficaria conhecida como uma mancha no espírito esportivo: “A vergonha de Gijón”. Título que batizou um jogo em que os times atuaram em banho maria, aproveitando-se do placar que beneficiava ambos e mandava os argelinos de volta para casa.

O fato é que o triunfo sobre os então bicampeões (o tricampeonato alemão viria em 90) não sai da memória do país africano. E na tarde desta segunda-feira, no Beira-Rio, os magrebinos, que pela primeira vez chegam às oitavas de final de um Mundial, tentam repetir a façanha e, assim, derrubar um punhado de impressionantes números da Mannschaft (equipe alemã).

A Alemanha ficou fora de apenas duas Copas (30 e 50), ambas por razões extracampo. Nas 17 edições que jogou, só não chegou entre os oito primeiros em 38. Ou seja, 74 anos atrás. Desde que foi instituída a fase de oitavas de final, em 86, passou todas as vezes por essa etapa, e com triunfos no tempo normal. Por fim, apenas a tetracampeã Itália (três vezes) e a Sérvia (duas), que herdou os resultados da antiga Iugoslávia, venceram mais de uma vez os germânicos em jogos de Mundial.

Derrubar esse gigante retrospecto do adversário e repetir a vitória de 82 aparece no discurso argelino como algo realista:

– Queremos ganhar da Alemanha como ocorreu em 82. Não entraremos com sentimento de vingança pelo que houve depois. Agora será outra oportunidade, um outro jogo – diz o atacante Slimani, autor do gol de empate com a Rússia que deu a inédita vaga nas oitavas.

Argelinos comemoram inédita passagem às oitavas de final (FOTO: Kirill Kudryavtsev)

A INCRÍVEL TRAJETÓRIA ALEMÃ EM COPAS


Desde 1986 a Copa do Mundo tem uma fase de oitavas de final após a etapa de grupos. Em todas elas a Alemanha esteve presente e sempre com vitórias no tempo normal. No torneio do México, o rival foi o Marrocos, vizinho da Argélia. Nas edições seguintes, superou rivais dos mais diferentes níveis, variando entre os continentes americano e europeu: Holanda, Bélgica, México, Paraguai, Suécia e Inglaterra.
A eficiência germânica nessa etapa da competição assombra, não sendo rivalizada nem mesmo pelo Brasil, único a ter presença em todos os Mundiais. A equipe canarinho foi eliminada pela Argentina nas oitavas de 1990, na Itália.

Esse desempenho em oitavas faz com que a Alemanha seja presença quase certa entre os oito primeiros colocados dos Mundiais. Mesmo antes da introdução dessa nova fórmula, a seleção, que não participou das edições de 30 e 50 por razões extracampo, só não chegou no G8 no distante ano de 38, na Itália. Na ocasião, já sob o terrível regime nazista de Hitler, a equipe perdeu logo de cara para a Suíça por 4 a 2, em um jogo de desempate. Lá se vão 76 anos!


A ALEMANHA NAS OITAVAS DE FINAL

1986

Alemanha 1x0 Marrocos


1990

Alemanha 2x1 Holanda


1994

Alemanha 3x2 Bélgica


1998

Alemanha 2x1 México


2002

Alemanha 1x0 Paraguai


2006

Alemanha 2x0 Suécia


2010

Alemanha 4x1 Inglaterra


O PODERIO ALEMÃO

Rainha das oitavas
Desde que foi criada a fase de oitavas após a etapa de grupos, a Alemanha esteve em todas e sempre passou. São sete jogos e sete triunfos nos 90 minutos.

Sem repeteco
Apenas a Italia e a Sérvia (que ficou com os resultados da ex-Iugoslávia) venceram mais de uma vez os alemães em partidas de Copa do Mundo.

Sempre na elite
A Alemanha só ficou fora de dois Mundiais. Nos outros 17, apenas em um, em 38, não terminou entre os oito.


MEMÓRIA DE 82

A grande zebra
Na primeira rodada do Grupo B, a Argélia surpreende a Alemanha, na cidade de Gijón, vence por 2 a 1, e torna-se a primeira seleção não europeia a derrotar os germânicos em uma Copa do Mundo.

Tudo embolado
Na segunda rodada, Alemanha goleia o Chile por 4 a 1 e vê os argelinos perderem para a Aústria por 2 a 0. Como os austríacos haviam derrotado os chilenos, o grupo fica embolado para a rodada final.

Fez seu papel
Contra os chilenos, Argélia cumpre seu papel. Em um jogo emocionante, vence por 3 a 2 no que seria o último triiunfo do seu futebol em Copas até os 4 a 2 diante da Coreia do Sul neste Mundial do Brasil.

Jogo da vergonha
Um dia depois de a Argélia derrotar o Chile, a Alemanha fez 1 a 0 na Áustria logo no começo. O resultado classificaria ambas e eliminaria a Argélia. Equipes passaram a tocar a bola até o apito final.