icons.title signature.placeholder Rodrigo Vessoni
22/04/2014
12:23

Na manhã desta terça-feira, o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, juntamente com o Ministro do Esporte, Aldo Rebelo, e dos membros do Conselho da Administração do Comitê Organizador Local (COL), Bebeto e Ronaldo, iniciaram um novo ciclo de vistorias às cidades sedes da Copa do Mundo de 2014. A Arena Corinthians foi o primeiro estádio a ser visitado. Apesar do otimismo demonstrado, Valcke avisou que não há tempo a perder para o estádio ficar pronto.

- O cronograma está muito apertado, mas as coisas deverão ser feitas para que possamos fazer nosso teste completo. O estádio estará pronto, a questão é não perder tempo. Não é que não podemos perder mais nenhum dia. Não podemos perder mais nenhum minuto - afirmou o secretário-geral da Fifa.

- Não tenho outra escolha. Não sou um sonhador. São Paulo ficará pronta no último minuto, mas temos um cronograma definido para ser cumprido - completou.

Confirmando a confiança da comitiva, os eventos testes planejados para acontecer ainda em abril foram confirmados. A única mudança que pode ocorrer é alteração da data da partida entre Corinthians e Figueirense. Do sábado, dia 17, às 18h30, para domingo, dia 18, no período da tarde, para imitar o horário das partidas que acontecerão na Copa do Mundo.

Para o evento em questão, entretanto, a Arena não deve contar com a capacidade máxima. Por uma questão de segurança, o Corinthians colocará a venda apenas 50 mil dos 68 mil ingressos que caberão no estádio quando o mesmo estiver pronto.

- É uma prerrogativa do Corinthians. É assim que agimos no Pacaembu, de vender um pouco menos por medida de segurança e adaptações que possamos fazer - disse Lucio Blanco, diretor de operação do estádio.

Ainda assim, Blanco deixou em aberto a possibilidade de aumentar a quantidade de entradas, mas não garantiu que isso seria realizado.

Além de Corinthians e Figueirense, outro jogo que pode acontecer na Arena Corinthians é a partida contra o Nacional, pela Copa do Brasil, dia 14. Isso, claro, se o Timão não eliminar o jogo de volta.

Depois de São Paulo, a comitiva segue para Curitiba, onde será recebida por representantes do Atlético-PR, da prefeitura e do governo do estado na Arena da Baixada.