icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
14/11/2013
11:04

A 34ª rodada do Campeonato Brasileiro ainda não acabou, mas já pode-se dizer que ela ficou marcada por mais uma ação de protesto do Bom Senso F.C. Porém, parece que o fato ocorrido foi esquecido pelos árbitros das partidas desta quarta-feira, eles não fizeram nenhuma citação ao evento nas súmulas eletrônicas, que ficam disponíveis no site da Confederação Brasileira de Futebol.

Em todos os jogos os atletas entraram em campo com uma faixa citando o Bom Senso F.C, grupo que conta com a participação de mais de 1000 jogadores favoráveis a melhorias no futebol nacional, ou fazendo cobranças à CBF. Além disso, no momento em que o juiz apitava o início da partida, os jogadores ficavam parados com os braços cruzados e só depois rolavam a bola.

Nenhum relato sobre a manifestação apareceu nas súmulas. Na descrição de Grêmio x Vasco, o primeiro duelo em que se pôde ver qual seria a ação de protesto dos jogadores, o árbitro Francisco Carlos Nascimento mencionou apenas um minuto de silêncio pela tragédia das Filipinas, o país foi atingido pelo tufão Haiyan, que matou mais de 2 mil pessoas. 

Já na súmula de São Paulo x Flamengo, jogo no qual o árbitro Alício Pena Júnior ameaçou dar cartão amarelo para todos os atletas caso eles ficassem parados após o início do confronto, o juiz só faz referência à paralisação de cinco minutos por conta de uma falha no sistema de irrigação do estádio. Ainda nesse jogo, os atletas, em protesto à ameça do árbitro, ficaram apenas tocando a bola, sem correr, e só começaram realmente o jogo quando a bola chegou a Rogério Ceni. 

Nas súmulas de quse todas as outras partidas no espaço destinado a observações sobre o jogo, os árbitros colocaram apenas a expressão "nada a relatar" ou "nada houve de anormal".