icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
16/03/2014
16:26

A roodada do Campeonato Gaúcho foi marcada por um protesto dos árbitros do Rio Grande do Sul exigindo respeito de torcedores e em apoio ao colega Márcio Chagas e contra a pena do TJD-RS ao Esportivo pelos insultos racistas ao juiz.

Nos instantes imediatamente anteriores ao apito inicial, os árbitros se juntaram no círculo central do gramado com auxiliares e quarto árbitro e cruzavam os braços. Em alguns jogos, jogadores repetiram o ato, como aconteceu nos protestos do Bom Senso FC no último ano.

O ato aconteceu na maior parte das partidas do Campeonato Gaúcho. No jogo entre Esportivo e São José, em Veranópolis, na primeira partida da punição do time de Bento Gonçalves, o árbitro Leandro Vuaden não repetiu o ato dos colegas. A situação se estendeu para alguns jogos da Divisão de Acesso, a Segundona do Rio Grande do Sul.

- EXIJO RESPEITO. Esse é o lema da arbitragem gaúcha. Racismo é só uma parte daquilo que sofremos, existe muito mais e talvez bem mais grave - escreveu em sua conta no Twitter o árbitro Jean Pierre Gonçalves.

Márcio Chagas sofreu ofensas racistas no jogo entre Esportivo e Veranópolis, na Montanha dos Vinhedos, em Bento Gonçalves. Foi xingado e seu carro foi amassado por chutes e tinha duas bananas no escapamento. O árbitro não gostou da punição dada ao Esportivo, que cumprirá cinco jogos sem jogar em seu estádio e pagará multa de R$ 30 mil.

*Atualizado às 19h07