icons.title signature.placeholder Thiago Correia
06/06/2014
20:49

Se as delegações das seleções da Copa do Mundo ainda estão chegando para a disputa, os árbitros já estão ralando. E muito. Nesta sexta-feira eles terminaram o último estágio de treinamento e preparação para a competição no CFZ, na zona oeste do Rio de Janeiro. Entre atividades físicas e técnicas, estavam jovens do Boavista, clube de Saquarema, que faziam simulações de lances reais, mesmo que tivessem que sair lesionados.

Entre os mais procurados, Sandro Meira Ricci. O representante brasileiro, que começou a apitar há nove anos, lembra que conseguiu cumprir várias etapas até chegar na Copa, e revelou que não pensava muito nisso quando começou.

- Quando eu comecei o curso, esperava apitar um jogo amador, e aí foi para o profissional, e cumpri etapas até chegar aqui. De dois anos para cá que pude pensar em Copa do Mundo - disse Sandro, que lembrou que apesar de existirem algumas peculiaridades da Copa do Mundo, tudo é futebol:

- A regra é a mesma para todos, existe a preparação, o relacionamento é diferente, vem jogador do mundo todo, e é um contexto diferente, o foco é outro, a consistência das decisões, temos que nos adequar ao que acontece.

Outro que se destacou no evento foi Howard Webb, principal árbitro da Inglaterra, e responsável em dirigir a última final, na África do Sul. O juiz se divertiu quando perguntado pelo L!Net se os jovens brasileiros que participavam do treino se jogavam muito, reclamavam demais...

- (risos) Não, não. São bons garotos, cooperaram muito bem com o nosso trabalho. Na verdade é legal trabalhar com eles, a gente pode conhecer um pouco mais, vê que eles gostam de estar aqui, e também é bom para o crescimento deles, pois esse trabalho exige muita disciplina - disse Webb.

Os árbitros vão continuar com esse treinamento durante a Copa do Mundo. Eles serão sorteados para as partidas 48 horas antes do apito inicial, vão até a cidade, e voltam depois ao Rio de Janeiro, cidade em que ficarão baseados.