icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
05/12/2013
12:57

Titular absoluto do Santos desde a saída do goleiro Rafael, vendido ao Napoli-ITA, Aranha, aos 33 anos, prefere não opinar sobre os possíveis reforços do Peixe visando a próxima temporada. O camisa 1 do Alvinegro acredita que um bom trabalho entre jogadores, comissão técnica e diretoria pode render bons frutos em 2014. Mas os nomes de Diego e Vargas, do Wolfsburg-ALE e Napoli-ITA, emprestado ao Grêmio, respectivamente, são fortes na Vila Belmiro.

- Eu acho que tenho um pouco de inteligência e essa inteligência me pede para não achar nada. Um cara que acha muito tem muitos problemas. O que eu sei é que eu tenho que fazer o meu trabalho bem feito. Se cada um no seu setor bem feito, as coisas vão andar. Se a diretoria e a comsisão técnica também fizerem as coisas também dão certo – se esquivou o jogador em entrevista coletiva na manhã desta quinta-feira.

Vivendo sua melhor fase com a camisa do Peixe, o goleiro ainda não pensa em aposentadoria. Ele, contudo, prefere ser cauteloso e acredita que o momento certo para deixar o futebol é enquanto vive bom momento, para não fazer com que os torcedores esqueçam o que já fez de bom pelo clube. Recentemente, Aranha renovou seu contrato até dezembro de 2015.

- A idade certa para parar é quando eu estiver por cima. Não quero “roubar”, como diz na gíria do futebol, jogar com o nome. Às vezes a gente precisa por necessidade financeira, mas tenho que ter disciplina, humildade, e direcionar as coisas para conseguir parar na hora certa. Quando parar de produzir, não vou envergonhar minha torcida, de repente manchar coisa boa que já fiz – disse Aranha.