icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
25/03/2014
18:43

Depois de entrar em campo com time misto e vencer o clássico diante do Palmeiras por 2 a 1, no domingo, o Santos fez treino regenerativo na segunda-feira e encerrou a preparação para as quartas de final nesta terça, no CT Rei Pelé. Contrariado com o pouco tempo de preparação entre a última rodada da primeira fase e o primeiro confronto eliminatório, o goleiro Aranha torce por um elemento diferencial para eliminar a Ponte Preta e avançar às semifinais.

- Pela proximidade do jogo, o ritmo diminui um pouco. O psicológico é fundamental. Com essa sequência de jogos, temos menos tempo de recuperação, é muito corrido, e precisamos evitar lesões - avisou o camisa 1, vazado apenas 11 vezes em 13 partidas do Campeonato Paulista (Vladimir, que atuou enquanto Aranha estava suspenso e lesionado, sofreu cinco gols em dois jogos).

Aranha é um dos principais goleiros da história recente da Ponte Preta, adversária do Peixe nas quartas de final do Paulistão. Era ele o titular da campanha do vice-campeonato estadual em 2008. O atual santista afirma ter boas recordações, e fala com carinho do ex-clube.

- Na minha época o time só tinha desconhecidos, com salários baixos, mas que encaixou e venceu quase todas. É especial para mim ver a Ponte bem, como tem sido nos últimos anos. Eles sempre se classificam na primeira fase, estão bem. Agora tenho que ver o meu lado, porque não determino o futuro da Ponte. Estou no Santos, e quero contribuir - avisou Aranha, em entrevista coletiva concedida nesta terça-feira.

"Castigado" com o futebol ofensivo do Peixe, Aranha prefere elogiar o estilo de jogo da equipe de Oswaldo de Oliveira, que tem recebido elogios da torcida pela campanha que determinou a liderança geral da primeira fase.

- O torcedor cobra muito isso, de jogr para cima, mas às vezes tem um preço de sofrer gols em contra-ataque. O torcedor tem que estar junto com o time, porque uma hora ou outra vai ter problema, não vai dar certo.