icons.title signature.placeholder Guilherme Abrahão e Matheus Babo
03/03/2014
07:37

Jovem, talentoso e com boas perspectivas futuras. O enredo é comum no Brasil. Até aparecerem drogas no caminho para tirar o promissor talento da trilha do sucesso. O fim poderia ser mais conhecido ainda, mas ele ainda está por ser escrito. O drama de Michael sensibilizou todos no Fluminense. E houve empenho para ajudá-lo a superar o problema. Hoje, ele tenta dar volta por cima. E já se tornou peça-chave na equipe tricolor.

O pesadelo começou no Carioca do ano passado. Mais precisamente no dia 6 de abril, após vitória sobre o Resende. De lá para cá, iniciou a batalha para se livrar da dependência química. Voltou este ano, após oito meses, e marcando gols. O que melhor sabe fazer.

– Creio que a minha dependência está totalmente controlada. Eu e meus médicos e psicólogo acreditamos nisso. Estou fazendo o trabalho que foi programado e conto com o apoio deles em tudo isso – afirmou, garantindo dedicação.

– Existem as dificuldades, mas como disse, no meu período de internação aprendi muito e hoje sei lidar com todas as dificuldades que aparecerem – afirmou.

Confira abaixo o bate-papo do jovem jogador com o LANCE!Net:

Pelo apoio, acha que tem uma dívida com o Flu?
Tenho uma dívida de gratidão sim. Tento demonstrar isso toda vez que entro em campo. Quero fazer o melhor para que possa retribuir à torcida e as pessoas que me ajudaram nessa reabilitação também.

Como foram os oitos meses de suspensão?
Foi uma passagem de vida para mim. Aprendi muito. Desses oito meses, foram 47 dias internado, que foi uma das melhores coisas que aconteceram. Hoje sei lidar com todas as dificuldades que a vida me proporciona. Sou grato a todos.

O que foi fundamental para sua recuperação?
O apoio do Fluminense, o apoio das pessoas que estavam sempre comigo, tanto na clínica, quanto aqui,  na minha casa, a minha família, isso me ajudou bastante. Favoreceu muito para que me animasse de novo e pudesse voltar a jogar.

O que passa aos garotos nas palestras que vem ministrando?
Enfatizo bastante a questão de que eles me tirem como exemplo das coisas ruins. Falo que as coisas boas acontecem na vida, mas tudo vem com o seu tempo. Só que sempre vai ter uma coisa ruim para atrapalhar. Por isso é preciso tomar muito cuidado na decisão que você vai tomar. Sempre tem o certo e o errado. Uma escolha errada acaba atrapalhando toda uma vida.

Amadureceu muito com tudo o que aconteceu?
Me achava pronto para a vida com 19 anos e acabei apanhando. Há pessoas que falam que a vida ensina de dois jeitos: com carinho e tapa na cara. Aprendi com o tapa na cara. Não tive outra escolha, mas levei esse aprendizado como ensinamento.  Não é questão só profissional. É questão de vida. Minha vida melhorou muito depois disso. Hoje tenho minha família do meu lado com muito mais frequência do que antes, os amigos verdadeiros ao meu lado. Sei que vou levar minha vida muito mais a sério e procurar fazer as coisas certas. Amadureci muito com tudo o que aconteceu.

RELEMBRE O CASO

Doping
O atacante Michael é flagrado no exame antidoping pelo uso de cocaína após a partida contra o Resende, pelo returno do Campeonato Carioca do ano passado. Desde então, o jogador começa a cumprir o período de suspensão de forma espontânea. Estratégia para impressionar tribunal antes do julgamento.

Punição
O atleta é julgado no STJD no início de setembro e punido por 16 meses, pena que pode ser reduzida pela metade desde que cumpra alguns requisitos que são impostos, como ministrar palestras para jovens jogadores e comprovar que está se tratando como programado.

Recuperação e exemplo
Desde o julgamento, o jogador mostra empenho na recuperação, ministra as palestras programadas e tem acompanhamento psicológico. Michael, inclusive, chega a se internar por conta própria numa clínica de dependentes químicos, atitude bastante elogiada. Após o término do período da suspensão reduzida, o atacante é submetido a avaliações e liberado para atuar na estreia do Fluminense no Campeonato Carioca.  

O retorno
No dia 18 de janeiro, Michael volta a jogar pelo Flu no Carioca e marca um gol na derrota por 3 a 2 para o Madureira. Desde então, o jogador tem se destacado positivamente.

Michael posou para o LANCE!Net nas Laranjeiras (Foto: Cleber Mendes/LancePress)