icons.title signature.placeholder Daniel Guimarães/RADAR
25/11/2014
11:29

Carlos Alberto Torres, o capitão do Tri na Copa do Mundo de 1970, e um dos maiores ídolos da história do Botafogo, chegou a General Severiano por volta das 10h para a eleição presidencial do Alvinegro. Com apoio declarado ao candidato Carlos Eduardo Pereira, o Capita acredita que a proposta de profissionalização, baseada nos moldes da Europa, é um dos principais trunfos da Chapa Ouro.

- O Botafogo vive um momento muito delicado. Talvez a eleição tenha vindo num momento certo. Precisa haver mudanças e eu estou apoiando um candidato que vai trazer mudanças. Geralmente eu não me envolvo em eleição no Botafogo, mas visto o cenário em que estamos, estou aqui. O Botafogo não é isso que está aqui. Tenho total certeza de que esse projeto (da Chapa Ouro), que não é aqui do Brasil, é da Europa, porque o profissionalismo verdadeiro está lá, vai tentar resgatar o prestígio do futebol carioca através do Botafogo - disse.

Carlos Alberto Torres aproveitou ainda para comentar a respeito da sua relação com o presidente Mauricio Assumpção. Para o Capita, Assumpção se perdeu no comando do Alvinegro.

- Eu não sei o que levou o Botafogo a chegar a esse ponto. Eu tive o prazer de trabalhar com o Mauricio (Assumpção) nos dois primeiros anos dele como embaixador do Engenhão. Mas depois eu me afastei dele por conta de seus projetos. O Botafogo precisa urgentemente mudar - finalizou.