icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
21/11/2013
00:31

O elenco da Ponte Preta comemorou bastante a vitória por 3 a 1 diante do São Paulo, no jogo de ida da semifinal da Copa Sul-Americana. Contudo, mesmo com o bom resultado, os jogadores mantêm os pés no chão para a volta, que ocorre na próxima quarta, dia 27.

- Não tem nada ganho ainda, o São Paulo é uma grande equipe. Agora é 50% a 50% e não tem vantagem. Não fizemos mais que a obrigação - declarou o atacante Rildo.

O veloz jogador de frente da Ponte Preta foi uma das válvulas de escape da equipe campineira. Pelo setor esquerdo de ataque, criou as principais jogadas ofensivas.

O lateral Uendel segue o mesmo discurso do atacante Rildo e evita comemorar antecipadamente a classificação para a final do torneio.

- A vitória foi importante, em um jogo de Sul-Americana, essa vantagem é boa. Futebol não tem destino, a gente fez resultado, mas estamos com o pé no chão - afirmou o atleta.

Nas arquibancadas, os pontepretanos ironizavam o São Paulo em razão da carta enviada pelo Tricolor, pedindo veto ao Moisés Lucarelli para a partida de volta. A entidade sul-americana acatou e a Ponte Preta terá de mandar o jogo longe do Majestoso. A diretoria alvinegra deve mover o duelo decisivo para a cidade de Mogi Mirim.

- Infelizmente não jogaremos em Campinas, mas, onde for, a maioria da torcida é nossa - concluiu Rildo.

Os atletas do São Paulo deixaram o campo cabisbaixos, mas ainda esperançosos quanto à classificação. O jogo de volta acontecerá na próxima quarta-feira, mas ainda não tem um lugar definido.

Show de são-paulinos termina em festa da torcida da Ponte