icons.title signature.placeholder Guilherme Borini
06/07/2014
14:52

Em meio a qualquer má fase de clubes brasileiros, os técnicos são sempre apontados como os principais culpados, sofrem críticas, e, em alguns casos, acabam sendo demitidos. Com Adilson Batista, no Vasco, não foi diferente. Após o mau início de Série B, com uma sequência de quatro empates e sem conseguir embalar, o treinador vascaíno balançou no cargo, mas ganhou respaldo da diretoria para trabalhar a equipe durante a paralisação para a Copa do Mundo.

- Eu não era o grande responsável pela atual classificação. Nós tivemos a perda do Estadual, tivemos dois confrontos desgastantes na Copa do Brasil, onde tivemos essas perdas, e buscamos atletas que dessem respostas. Fomos atrás de meninos, tivemos coragem de colocar meninos em determinados jogos. As pessoas também precisam entender que não é do dia para a noite que se faz um time – disse o técnico, que completou demonstrando confiança no seu trabalho.

- Eu nunca tive medo de perder o emprego. Eu tenho consciência do que estou fazendo, sei da grandeza e da necessidade do clube de sempre ser campeão, mas é preciso entender o contexto que aconteceu. É a minha opinião a respeito.

Para Adilson, a maior dificuldade do Vasco tem sido a motivação dos adversários da Série B de enfrentar o clube de maior expressão da competição.

- Na Série B, contra o Vasco todo mundo jogo como se fosse final. Nós precisamos entender que é assim, mesmo tendo qualidade e jogadores já consagrados e experientes, que já jogaram em outros clubes grandes. Precisamos nos adequar e entendermos que todos jogam uma final contra o Vasco - concluiu Adilson.

O Vasco segue a preparação em um resort em Atibaia, no interior de São Paulo, para o retorno à disputa da Série B, dia 15 de julho, contra o Santa Cruz. Após a vitória em um jogo-treino contra a equipe local, os jogadores voltam a realizar treinamento na manhã deste domingo. A previsão é que a equipe dispute mais um jogo-treino, provavelmente na quarta-feira, contra o São Caetano.