icons.title signature.placeholder Thiago Ferri
01/06/2014
08:43

Quando deixou o Palmeiras, no ano passado, Hernán Barcos dizia não querer perder visibilidade na Série B, por conta da chance de disputar a Copa do Mundo pela Argentina. Um ano depois, porém, o Pirata não conseguiu seu sonho e, a “contragosto”, revê o Verdão neste domingo pelo Grêmio às 16h, no último jogo dos times no Brasileirão antes da pausa para o Mundial.

Se os planos do centroavante tivessem ocorrido como o esperado, ele nem estaria em campo no Alfredo Jaconi. Isto porque os jogadores que vão à Copa já estão com suas respectivas seleções, preparando-se para a competição que começa dia 12 de junho. Barcos, porém, não é convocado desde que jogava pelo Verdão: já são 556 dias "esquecido" pelo time nacional.

Negociado para aliviar também as dívidas do Palmeiras, Barcos irritou-se pela fama de vilão que “ganhou” e atacou a diretoria. Hoje, porém, fala na admiração que restou do clube que o fez brilhar no Brasil.

– Ficou um respeito pela instituição Palmeiras. Fui muito bem recebido no Brasil. Essa é uma partida como qualquer outra. Não tem nada de especial – disse o argentino ao LANCE!Net.

Segundo ele, a versão dada pela diretoria em sua negociação foi errada, e por conta disto sentiu-se “traído”. A posição do jogador foi sustentada por Maurício Ramos, ex-beque alviverde e seu então companheiro.

– Ele não queria sair, mas a diretoria entrou em contato dizendo que ele precisava ir para o Grêmio pela questão salarial. Estava difícil o Palmeiras pagar. Ele ficou triste, mas também fez isso para ajudar o Palmeiras, que precisava – lembrou, ao L!Net.

O Palmeiras, por sua vez, tenta falar o menos possível sobre o jogador, já que a sua transação gerou imensas críticas da torcida sobre a cúpula. A ideia é deixá-lo no passado.

O palmeirense, que tratou o Pirata como ídolo, agora o vê como um grande rival, com direito a provocações na internet e piadas. Desde que o então camisa 9 saiu, três centroavantes passaram pelo time: Kleber, que não fez nada, Alan Kardec, outro com potencial para ser ídolo, mas que foi para o São Paulo (virou também “vilão”), e agora Henrique, artilheiro do time neste Brasileirão.

Barcos é um dos goleadores do Grêmio no torneio, também, mas tem sido constantemente criticado pela torcida. Atormentado por jejuns, marcou duas vezes contra a Chapecoense, no dia 11 de maio, após passar um mês em branco. Deste então, não foi mais às redes.

O jogo diante do antigo clube é a chance para o atacante, criticado por sumir em momentos decisivos no Grêmio, colocar a equipe no G4 antes do Mundial. Sua real vontade, porém, era apenas torcer pelos tricolores, da concentração argentina. Os planos do hermano após Palmeiras, definitivamente, não aconteceram como esperado.

COMPARATIVO DE BARCOS

Palmeiras (2012-2013)  x  No Grêmio (2013-2014)
31 32
61 84                         
1 0
31 15
Sim Não