icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
21/11/2013
15:57

No último domingo, Emanuel fez história no esporte. Aos 40 anos, o jogador se tornou o maior campeão da história do vôlei de praia ao conquistar, ao lado de seu atual parceiro Alison, a quarta etapa do Circuito Banco do Brasil da modalidade, no Guarujá (SP).

A Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) prestou uma homenagem a Emanuel, por e-mail. O atleta curitibano respondeu com um desabafo. O astro admitiu uma desconfiança no início de sua carreira e revelou que jamais imaginou que poderia alcançar este patamar (confira abaixo o texto).

O título foi o 149º da carreira de Emanuel, que está há 23 anos jogando nas areias. Com isso, ele superou o americano Karch Kiraly, considerado o melhor atleta da história do vôlei dos Estados Unidos e então detentor da marca que faz parte do Guinness Book.

Entre suas principais conquistas, Emanuel obtém três medalhas em Olimpíadas, sendo uma de cada cor: ouro em Atenas-2004, com Ricardo, bronze em Pequim-2008, novamente com Ricardo, e prata em Londres-2012, desta vez com Alison.

Além disso, ele detém três títulos do Campeonato Mundial de Vôlei de Praia. Em 1999, venceu o torneio em Marselha (FRA), com Loiola. Quatro anos depois, no Rio de Janeiro, foi campeão mundial com Ricardo. E em 2011, em Roma (ITA), faturou o título com Alison.

CONFIRA A HOMENAGEM DA CBV E A RESPOSTA DE EMANUEL

Email da CBV:

"O desejo de voar está presente na humanidade provavelmente desde o dia em que o homem pré-histórico passou a observar o voo dos pássaros. No século XV, Leonardo Da Vinci projetou a primeira máquina de voar. Em 20 de julho de 1969, Neil Armstrong deixou sua marca na história, ao ser o primeiro homem a pisar na areia lunar.

Tolos são os que acreditam que o homem não voa. Emanuel Fernando Scheffer Rego, nascido em Curitiba, em 15/04/1973, não foi o primeiro homem a voar, não deixou pegadas na Lua, não desenhou uma máquina de voo, mas com os pés descalços deixou uma marca nas areias e na história deste planeta. Este homem, este fenômeno, continua a desafiar, aos 40 anos, a lógica dominada pelos humanos, provando que existem homens que podem voar.

Para este homem, a vitória deixou de ser apenas um sonho, tornando-se parte do cotidiano. Durante este fim de semana mais um feito extraordinário foi estabelecido. Nas areias do Guarujá, Emanuel chegou à incrível marca dos 149 títulos ao longo da carreira, superando o lendário Karch Kiraly.

Emanuel é o único a ter realizado o feito de representar seu país em todas as cinco edições dos Jogos Olímpicos das quais o vôlei de praia participou. As três medalhas conquistadas em Atenas, Pequim e Londres foram alguns dos capítulos da história vitoriosa deste personagem que se confunde com a história do esporte.

Mano, por todos os exemplos de busca pela excelência e de paixão pelo esporte, a Unidade de Seleções Praia o parabeniza e torce para que sua coleção de medalhas douradas aumente a cada competição.

Colaboradores, colegas e amigos, esta conquista também é de todos nós, que pagamos as notas, emitimos passagens, planejamos e, acima de tudo, torcemos por seu êxito.

Muito Obrigado!!!"

Resposta de Emanuel:

"Caríssimos,

Profissão? Sim. Mas prefiro chamar de paixão. Lá se vão 23 anos de praia... São mais de duas décadas de uma paixão vivida de maneira intensa.

Hoje me lembro de quando pus os pés na areia pela primeira vez. Não imaginava que estaria aqui hoje. Não imaginava que o vôlei de praia estaria dessa maneira hoje. E não imaginaria, nunca, alcançar o que alcancei no último fim de semana.

Sempre fui movido a desafios, movido à motivação de dar sempre o meu melhor, de estar sempre no meu melhor, de ser sempre o melhor. Lembro da época em que eu era apenas o ‘Espeto’, um garoto ainda, magricelo, que formava dupla com o ‘Graveto’. Era difícil acreditar que aquele era o meu futuro, mais difícil ainda porque havia mais gente duvidando do que me apoiando.

Mas muitos me apoiaram. E aqui estou eu. Aos poucos, os que duvidavam passaram a me apoiar. E isso me deixou ainda mais forte. Posso dizer que vi o vôlei de praia nascer e crescer, se agigantar e se transformar no espetáculo que é hoje. Dá orgulho de ter feito parte disso. Orgulho de fazer parte.

Nunca mirei recordes, foquei em vitórias, em conquistas, em representar bem o meu time e o meu país. Mas o último domingo foi especial. Um dos dias mais especiais da minha carreira. Quando a bola caiu e fechamos o jogo, quando vencemos a final no Guarujá, ali o tempo parou por alguns momentos. Ali lembrei de cada um que me ajudou nesses mais de 20 anos como atleta. Tantas pessoas me ajudaram para eu estar aqui, aos 40 anos (e seis meses), jogando em alto nível. Tantas que ficaria muito tempo aqui lembrando de todas...

Estou vivendo um momento especial e preciso agradecer à CBV e a cada um dos que convivem quase que diariamente comigo. Graças à estrutura, graças ao trabalho, graças ao que temos feito juntos,pude comemorar, pela 149ª vez, um título.

Há alguns meses, soube da proximidade de um recorde, que pertencia a Karch Kiraly, um recorde de títulos na praia. Kiraly tinha 148 conquistas. Hoje, esse recorde é nosso, o Brasil tem o recordista mundial de vitórias no vôlei de praia.

Não sei ainda o tamanho dessa marca. Só sei que é História. Muito obrigado a todos vocês por me fazerem ser, a cada dia, um atleta mais completo e um homem mais realizado.

Abraço,
Emanuel"