icons.title signature.placeholder Geovanne Esteves
25/07/2014
14:50

Depois de sete anos sem uma equipe disputando um torneio adulto de basquete, o Vasco da Gama reapareceu e mostrou que o peso de sua camisa continua sendo o mesmo. Sem muito alarde, o time participou do Torneio Carioca, segunda competição estadual mais importante do calendário. Com um projeto idealizado em dois meses e com a equipe entrando em quadra para treinar a apenas cinco dias da estreia, o Cruz-maltino foi campeão invicto, nesta quarta-feira, em cima do Macaé, em sua volta ao cenário profissional da modalidade.

– É um projeto que vem para tentar resgatar a tradição do Vasco no basquete adulto. Isso contribui no incentivo das categorias de base, que acabam tendo um espelho com um time profissional – disse o diretor de basquete, Franciso Vilanova.

O projeto foi encabeçado pelo diretor de basquete, Francisco Vilanova, juntamente com os escolhidos para dirigir o time, Christiano Pereira, técnico, que também treina o juvenil, e Luiz Brasília, ícone do basquete vascaíno, que trabalhou como assistente.

– Conversamos com o presidente Roberto Dinamite, com o vice Antonio Peralta, e eles gostaram da ideia e, mesmo com toda dificuldade financeira, aceitaram tirar o projeto do papel. Dando inicio as conversas com jogadores que já tiveram passagem pelo Vasco, junto com o Christiano e o Brasília, e entramos em contato com os atletas que achávamos que tínhamos condições de trazer – completou Vilanova.

Multicampeão em um passado recente, a equipe soma a conquista de dois Campeonatos Brasileiros (2000 e 2001), dois Sul-Americanos (1999 e 2000) e um vice-campeonato mundial, em 1999, perdendo para o poderoso San Antonio Spurs de Tim Duncan e David Robinson.

– A gente trabalha pensando sempre no melhor e o Vasco montando a equipe adulta o basquete todo colhe bons frutos – falou o treinador Christiano Pereira.

Os atletas que venceram o torneio, tinham contrato só até o fim da competição. Apesar da dificuldade financeira, o clube contribuiu com uma ajuda de custo e não deixou nenhuma pendência com os jogadores, mostrando que realmente estava comprometida com a ideia.

E as ambições não vão parar no título do Torneio Carioca. A direção do basquete está esperando apenas as eleições do clube para saber se o projeto terá continuidade ou não. Caso recebam um sinal positivo, a ideia é voltar ao cenário nacional como uma potência. Segundo o diretor, alguns candidatos já confirmaram que, caso sejam eleitos, farão com que a instituição volte a ter uma equipe competitiva.

– Eu já participei do NBB e sei que é diferente entrar em um time de camisa. Quem já vestiu a camisa do Vasco, sabe que é diferente. Superamos nossas deficiências e tenho uma grande expectativa de entrar na liga nacional. Um time como o Vasco, com a camisa que tem e com a torcida que tem, tem condições de ultrapassar qualquer dificuldade - disse o ala Marcellus, um dos destaques do time.