icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
28/08/2015
11:41

Goleiro, capitão e ídolo do Cruzeiro, Fábio já viveu momentos bons e ruins no clube. Campeão brasileiro nos últimos dois anos, o camisa 1 também esteve presente na campanha de 2011, ano em que a equipe só escapou da segunda divisão na última rodada, ao golear o rival Atlético-MG por 6 a 1. Ciente dos perigos do Brasileirão, o jogador diz ter orientado a diretoria para a importância de um planejamento de qualidade para não voltar a sofrer na parte baixa da tabela.

- Brasileiro não é campeonato que vai entrar e concretizar todas as vitórias em casa e, fora, vai conseguir jogos bons. Já vivenciamos tantos Brasileiros. Alertamos, eu alertei. Agora é se unir para sair desta situação incômoda – disse o goleiro.

- Acho que cada competição tem sua forma de disputa. Uma equipe que ganhar a Libertadores, às vezes, não vai bem em pontos corridos. Poderíamos ter sido campeões da Libertadores, tínhamos grandes chances de passar para as semifinais. E Brasileiro é campeonato longo,tem de jogar 100% todos os jogos. Estamos aí muito tempo, e, se não tiver equipe 100%, acaba não alcançando êxito, começam as cobranças e a responsabilidade começa a aumentar. Não tem segredo no futebol. Em todo planejamento, as coisas tem de ser feitas da melhor forma possível – acrescentou.

Após se eliminado na Copa do Brasil para o Palmeiras, o Cruzeiro só tem o Brasileiro no restante da temporada. A um ponto do Z-4, o primeiro e urgente objetivo celeste é se descolar dos últimos colocados e terminar o ano sem sustos.

- O mais cedo que conseguirmos as vitórias, muda a competição. Uma vitória pode mudar e encobrir o que não fizemos nesses meses. Quando ganhar, fica tudo mais nítido e a cobrança vai diminuindo. Temos de fazer o máximo possível de pontos e entrar de novo nos trilhos – completou Fábio.

Goleiro, capitão e ídolo do Cruzeiro, Fábio já viveu momentos bons e ruins no clube. Campeão brasileiro nos últimos dois anos, o camisa 1 também esteve presente na campanha de 2011, ano em que a equipe só escapou da segunda divisão na última rodada, ao golear o rival Atlético-MG por 6 a 1. Ciente dos perigos do Brasileirão, o jogador diz ter orientado a diretoria para a importância de um planejamento de qualidade para não voltar a sofrer na parte baixa da tabela.

- Brasileiro não é campeonato que vai entrar e concretizar todas as vitórias em casa e, fora, vai conseguir jogos bons. Já vivenciamos tantos Brasileiros. Alertamos, eu alertei. Agora é se unir para sair desta situação incômoda – disse o goleiro.

- Acho que cada competição tem sua forma de disputa. Uma equipe que ganhar a Libertadores, às vezes, não vai bem em pontos corridos. Poderíamos ter sido campeões da Libertadores, tínhamos grandes chances de passar para as semifinais. E Brasileiro é campeonato longo,tem de jogar 100% todos os jogos. Estamos aí muito tempo, e, se não tiver equipe 100%, acaba não alcançando êxito, começam as cobranças e a responsabilidade começa a aumentar. Não tem segredo no futebol. Em todo planejamento, as coisas tem de ser feitas da melhor forma possível – acrescentou.

Após se eliminado na Copa do Brasil para o Palmeiras, o Cruzeiro só tem o Brasileiro no restante da temporada. A um ponto do Z-4, o primeiro e urgente objetivo celeste é se descolar dos últimos colocados e terminar o ano sem sustos.

- O mais cedo que conseguirmos as vitórias, muda a competição. Uma vitória pode mudar e encobrir o que não fizemos nesses meses. Quando ganhar, fica tudo mais nítido e a cobrança vai diminuindo. Temos de fazer o máximo possível de pontos e entrar de novo nos trilhos – completou Fábio.