icons.title signature.placeholder Guilherme Abrahão e Matheus Babo
23/11/2013
08:17

Valencia chegou às Laranjeiras no segundo semestre de 2010 para ser o cão de guarda do meio de campo do Fluminense. De lá para cá, pouco mais de três anos se passaram e o jogador conquistou os Campeonatos Brasileiros de 2010 e 2012, além do estadual do ano passado, mas nunca teve uma grande sequência como titular.

Desde que desembarcou no clube, o colombiano conviveu com diversas lesões musculares, que atrapalharam a continuidade. O último jogo como titular foi há seis meses, no dia 6 de abril, quando o Flu derrotou o Resende por 2 a 0, ainda no Campeonato Carioca. Porém, uma lesão na panturrilha direita interrompeu a rotina de atuações.

Luxemburgo levou o time para uma semana de treinos em Atibaia (SP) e viu o camisa 17 com muita vontade nos treinamentos. No duelo diante do Corinthians, mesmo sem estar 100% fisicamente, o volante foi chamado ainda no primeiro tempo para substituir Diguinho, que se machucou. No jogo, mesmo longe do condicionamento ideal, o colombiano foi bem, com diversos desarmes e bom posicionamento à frente da defesa.

Em seguida, Luxa foi demitido e Valencia seguiu para a seleção, ausentando-se por uma semana. Dorival assumiu o time e conquistou duas vitórias. Nos treinos desta semana, Leandro Euzébio torceu o tornozelo e não tem a presença garantida, enquanto Edinho foi recuado para a zaga, cedendo espaço para o colombiano.

Apesar do pouco contato com o jogador, o treinador enalteceu a experiência do camisa 17:

– Foi meu adversário no Paraná. Tem muitas qualidades e vem voltando agora. Pela vivência e maturidade, será fundamental – disse.

Agora é com Dorival. Se o time escalado durante a semana for mantido, Valencia receberá a tão esperada oportunidade.

COLOMBIANO DEU ENTRADA EM VISTO PERMANENTE

Atuando desde 2007 no Brasil, quando veio para o Atlético-PR, o volante colombiano Valencia já deu entrada no processo de visto permanente, para não contar mais como atleta extra-comunitário no país. A situação já está encaminhada e o jogador espera que consiga o documento até meados do ano que vem. Dessa forma, antes da Copa do Mundo, ele já poderá trabalhar no Brasil sem precisar renovar o passaporte a cada dois anos.

O contrato de Valencia com o clube vai até dezembro de 2014 e o Tricolor já analisa a situação para saber se prolongará antecipadamente o vínculo, mesmo com o volante atuando poucas vezes.

A preocupação é devida à provável participação na Copa. Caso se destaque, ele já poderá assinar um pré-contrato com qualquer outro clube, sem ressarcimento ao Fluminense, a partir de junho.

Recentemente, o Cruz Azul (MEX) demonstrou interesse em contratá-lo, mas as conversas não evoluíram porque ele estava no departamento médico.