icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
07/11/2014
12:00

O volante Alison foi um dos poucos jogadores do Santos a "se salvar" do empate em 3 a 3 que determinou a eliminação da equipe, diante do Cruzeiro, na Copa do Brasil. Esforçado durante o tempo em que ficou em campo na Vila Belmiro, o camisa 29 só foi substituído por Renato em razão das fortes cãibras que sentia. Agora, além do desgaste físico, precisa superar o que definiu como "dor" da eliminação no torneio mata-mata. E tudo isso restando apenas dois dias para o clássico contra o Corinthians, que marca a retomada do Brasileirão para o Peixe.

- Dói, mas futebol é assim, um lance, um detalhe acaba definindo um jogo ou uma classificação. É vida que segue, a gente precisa levantar a cabeça - falou o volante santista, nesta sexta-feira, primeiro dia de treinos após a desclassificação da Copa do Brasil.

Alison não acredita que a atuação de todos os titulares no jogo contra o Inter, partida que antecedeu o duelo diante do Cruzeiro, tenha sido um erro de cálculo do técnico Enderson Moreira, que foi derrotado por 2 a 1 e praticamente sepultou as chances de sonhar com o G4 em 2014, além de desgastar ainda mais o grupo de jogadores. Para Alison, é necessário superar as dores físicas e psicológicas antes de pisar na Arena Corinthians neste domingo, às 19h30.

- Matematicamente é difícil, mas temos chance de chegar no G4, a motivação é essa. Enquanto tiver chance, vamos brigar e lutar para alcançar os resultados. Não tem tempo para lamentar, estamos preparados para momentos como esse. Foi triste, mas passou. É erguer a cabeça e continuar lutando - pontuou Alison, durante o contato com a imprensa.

O Santos está oito pontos atrás do Fluminense, que tinha a mesma pontuação há três rodadas, mas hoje abre o G4 do Brasileirão. Dessa forma, e restando seis rodadas para o encerramento do torneio, uma vitória sobre o Corinthians pode dar sobrevida ao Santos e também ajudar a espantar o baque da eliminação na Copa do Brasil.

- Lógico que uma vitória no domingo não tira a dor da desclassificação, mas sabemos que é jogo importante, vale muito para o Santos e para o torcedor - afirmou o volante.