icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
25/11/2013
13:17

O técnico do Real Madrid, Carlo Ancelotti, voltou a falar sobre a saída do meia Özil, que foi para o Arsenal, mas desta vez de forma bem humorada. Ele disse que, por causa das circunstâncias, o jogador alemão foi praticamente um presente para Arsène Wenger, técnico dos Gunners, e cobrou um jantar do colega francês. Ele voltou a chamar para si a responsabilidade da saída do craque.

- Arsène Wenger tem que nos convidar para um jantar depois de termos dado Özil. Foi minha decisão. Quando contratamos o Bale, ficaria difícil achar lugar para ele - disse Ancelotti em entrevista ao "The Times", que ainda falou sobre a era José Mourinho no Real Madrid:

- No clube, não se fala muito sobre a temporada de Mourinho aqui, e eu não pergunto muito sobre isso. Alcançar as semifinais da Liga dos Campeões não está ruim, mas não é suficientemente bom para alguns clubes.

E por falar em Liga dos Campeões, ele ainda falou sobre a verdadeira obsessão que o clube tem em vencer o seu décimo troféu do torneio. Ele garantiu que, pessoalmente, isso não existe.

- A "Décima" não é uma obsessão, mas é uma motivação. Para o clube é muito importante. A última vez que o Real Madrid jogou uma final foi em 2002. Para um clube como o Real Madrid, isso não é bom - concluiu.