icons.title signature.placeholder Michel Castellar
27/06/2014
16:52

Após quatro horas e cinquenta minutos de atraso, a Nigéria chegou a Brasília sem um torcedor à sua espera, às 16h50 desta sexta-feira. A equipe, que enfrenta a França pelas oitavas de final na segunda-feira, no Estádio Mané Garrincha, ameaça fazer uma greve para receber seu prêmio pela participação na Copa, a exemplo do que ocorreu com a seleção de Gana.

A princípio, os nigerianos chegariam ao meio-dia, mudou para às 14h, e, posteriormente, às 15h30. O ônibus que trouxe a seleção entrou diretamente no hotel e a previsão é a de que um treino ainda ocorra nesta sexta-feira, no Centro de Capacitação Física do Corpo de Bombeiros.

Na tarde de quinta-feira, os nigerianos cancelaram um treino, por causa do pagamento da premiação pela participação no Mundial. O episódio é o segundo a ocorrer na Copa, já que a seleção de Gana adotou a  mesma postura para poder receber.

Os jogadores de Gana ameaçaram não entrar em campo contra Portugal, na quinta-feira, se não recebessem o dinheiro de participação na Copa. O governo ganês fretou um avião para trazer US$ 3 milhões para quitar a dívida com os atletas.

De acordo com Collin Udoh, um jornalista nigeriano da Suppersports TV que acompanha a seleção, os jogadores já teriam que receber uma premiação apenas por participar da competição e um bônus extra ao classificar para as oitavas de finais. Ele afirmou que na quarta-feira um emissário da Federação de Futebol de Gana foi enviado ao país para trazer a quantia exigida pelos atletas.