icons.title signature.placeholder Bruno Cassucci e Felipe Bolguese
icons.title signature.placeholder Bruno Cassucci e Felipe Bolguese
19/08/2015
07:05

Quase um ano e meio depois de chegar ao Corinthians, Luciano afirmou que “virou homem”. A expressão define o momento de amadurecimento pelo qual passou nos últimos tempos e, agora, entende que está aproveitando para brilhar em campo. Nesta quarta-feira, contra o Santos, na Vila Belmiro, pela Copa do Brasil, o novo Luciano dará as caras em uma decisão, bem diferente de quando foi titular contra o Guaraní (PAR), pela Libertadores, e decepcionou.

O Santos, inclusive, poderia ser o time do atacante hoje. Antes de disputar os Jogos Pan-Americanos em Toronto (CAN), seus empresários conversaram com diretores do clube praiano. O próprio jogador tinha dado aval e já queria sair havia tempo, pois não vislumbrava espaço com Tite. O negócio ficou para ser fechado quando ele voltasse, mas até lá tudo se transformou. Sorte do Timão.

No Canadá, ele fez cinco gols em quatro jogos. Então, voltou como a solução do ataque, que não havia conseguido se reforçar com Teo Gutiérrez e Jonathas. Depois de desbancar Vagner Love e virar titular, ele fez cinco gols nos jogos contra São Paulo, Sport (2) e por fim Avaí (2).

Desde que Luciano chegou, contratado do Avaí, seu potencial foi elogiado. O faro de gol e a finalização chamaram atenção do então técnico Mano Menezes. No entanto, a personalidade atrapalhou. Quando ia bem, o atacante se deslumbrava. Pessoas próximas dizem que ele achou que já estava “garantido” e se perdeu por isso. Quando ia mal ou ficava longo tempo na reserva, até sem entrar, baixava a bola e não se dedicava como devia. Chegou a se recusar a fazer alguns treinamentos pedidos pela comissão técnica do Corinthians.

Nos primeiros meses de 2015, tudo indicava que seria o fim da linha para o camisa 18 no clube. Emerson Sheik, Guerrero, Danilo, Love, Mendoza e Malcom estavam na frente na preferência de Tite. Mas o fato é que os dois primeiros saíram, e os outros caíram de produção... Sua atuação no Pan foi a famosa virada do fio.

Desde que ele voltou e começou a fazer gols e ser decisivo, o trabalho fora de campo foi ainda maior. Tudo para que os erros do passado não fossem repetidos. Seus assessores o orientam a manter humildade nos discursos e admitir as falhas. Seu empresário, Marcos Santos, evita forçar pedido de renovação de contrato, que acaba no fim do próximo ano. Tudo para não passar agora uma imagem de oportunista.

O fato é que Luciano garante ter deixado de ser moleque. Nada melhor do que uma decisão contra um rival para mostrar que mudou para melhor. Será que terá mais gols nesta noite?

CAUSOS DO LUCIANO 'PRA VIRAR HOMEM'

Ciúmes
Luciano confidenciou uma vez chateação por ver Mendoza com mais chances do que ele com Tite, uma vez que o colombiano era recém-chegado, enquanto ele já havia sido o vice-artilheiro da equipe na temporada anterior. Após reclamar, foi orientado a ganhar a vaga nos treinos e entrando bem nos jogos.

Migué?
Na véspera do jogo contra o Mogi Mirim, pelo Paulistão, Luciano ficou apenas no departamento médico, alegando dores. Ele queria ficar fora do jogo mas, como não tinha lesão, foi “obrigado” a se concentrar. No clube, o discurso é que o jogador tentou dar um “migué” para não jogar. No fim, ele entrou, fez gol e deu assistência para Guerrero.

Desejo de sair
Sem espaço com Tite, ele avisou eus empresários que gostaria de ser negociado. Houve conversas com Flamengo, Fluminense e Santos – esta, antes dos Jogos Pan-Americanos. No entanto, ele foi convencido de que deveria esperar e tentar uma nova oportunidade no Timão.

Paixão e família
O corintiano começou a namorar neste ano e ficou mais “sossegado”. Apaixonado, chegou a fazer uma festa surpresa de aniversário para a namorada no Paris 6. Seus pais, que moram em Goiânia, também ficaram períodos na casa dele, em São Paulo.

Peso da Seleção
Depois de ir bem com a Seleção no Pan, inclusive com um gol de bicicleta, o jogador ouviu que, se não havia sentido a pressão de vestir a Amarelinha, deveria voltar a brigar por espaço no Corinthians. Ele concordou, até porque Love estava em má fase.

Entrevistas
Avesso à entrevistas, o jogador começou a aparecer mais. Mostrou a medalha de bronze do Pan e deu duas entrevistas coletivas no CT Joaquim Grava, além de estar sempre à disposição na zona mista da Arena Corinthians.

MOMENTOS ANTES DE 'VIRAR HOMEM'...

- Depois de estrear por 1 minuto, ele entrou no jogo seguinte, contra o Comercial, e fez dois gols. Repetiu os dois gols contra o Linense e depois Bahia de Feira - tudo isso em menos de um mês.

- Com poucos minutos em clássicos pelo Brasileirão, diante de São Paulo, Palmeiras e Santos, ele voltou a brilhar contra o Goiás. Entrou no intervalo e fez três gols na goleada por 5 a 2, na Arena.

- Titular na ida das quartas de final da Copa do Brasil, contra o Atlético-MG, ele fez gol na vitória por 2 a 0. Na volta, foi reserva nos 4 a 1 que eliminaram o Timão, no Mineirão. Entrou e teve atuação criticada por companheiros, por perder bola importante quando estava 3 a 1.

- Reserva com Tite, ele voltou a brilhar no começo deste ano, no amistoso contra o Corinthian-Casuals. Entrou e fez dois gols na vitória por 3 a 0 na Arena Corinthians. Parecia que deslancharia...

- No seu maior desafio do ano, ele foi titular no duelo das oitavas de final da Libertadores, contra o Guaraní (PAR), em Assunção. Teve má atuação e ainda saiu lesionado no segundo tempo.

Quase um ano e meio depois de chegar ao Corinthians, Luciano afirmou que “virou homem”. A expressão define o momento de amadurecimento pelo qual passou nos últimos tempos e, agora, entende que está aproveitando para brilhar em campo. Nesta quarta-feira, contra o Santos, na Vila Belmiro, pela Copa do Brasil, o novo Luciano dará as caras em uma decisão, bem diferente de quando foi titular contra o Guaraní (PAR), pela Libertadores, e decepcionou.

O Santos, inclusive, poderia ser o time do atacante hoje. Antes de disputar os Jogos Pan-Americanos em Toronto (CAN), seus empresários conversaram com diretores do clube praiano. O próprio jogador tinha dado aval e já queria sair havia tempo, pois não vislumbrava espaço com Tite. O negócio ficou para ser fechado quando ele voltasse, mas até lá tudo se transformou. Sorte do Timão.

No Canadá, ele fez cinco gols em quatro jogos. Então, voltou como a solução do ataque, que não havia conseguido se reforçar com Teo Gutiérrez e Jonathas. Depois de desbancar Vagner Love e virar titular, ele fez cinco gols nos jogos contra São Paulo, Sport (2) e por fim Avaí (2).

Desde que Luciano chegou, contratado do Avaí, seu potencial foi elogiado. O faro de gol e a finalização chamaram atenção do então técnico Mano Menezes. No entanto, a personalidade atrapalhou. Quando ia bem, o atacante se deslumbrava. Pessoas próximas dizem que ele achou que já estava “garantido” e se perdeu por isso. Quando ia mal ou ficava longo tempo na reserva, até sem entrar, baixava a bola e não se dedicava como devia. Chegou a se recusar a fazer alguns treinamentos pedidos pela comissão técnica do Corinthians.

Nos primeiros meses de 2015, tudo indicava que seria o fim da linha para o camisa 18 no clube. Emerson Sheik, Guerrero, Danilo, Love, Mendoza e Malcom estavam na frente na preferência de Tite. Mas o fato é que os dois primeiros saíram, e os outros caíram de produção... Sua atuação no Pan foi a famosa virada do fio.

Desde que ele voltou e começou a fazer gols e ser decisivo, o trabalho fora de campo foi ainda maior. Tudo para que os erros do passado não fossem repetidos. Seus assessores o orientam a manter humildade nos discursos e admitir as falhas. Seu empresário, Marcos Santos, evita forçar pedido de renovação de contrato, que acaba no fim do próximo ano. Tudo para não passar agora uma imagem de oportunista.

O fato é que Luciano garante ter deixado de ser moleque. Nada melhor do que uma decisão contra um rival para mostrar que mudou para melhor. Será que terá mais gols nesta noite?

CAUSOS DO LUCIANO 'PRA VIRAR HOMEM'

Ciúmes
Luciano confidenciou uma vez chateação por ver Mendoza com mais chances do que ele com Tite, uma vez que o colombiano era recém-chegado, enquanto ele já havia sido o vice-artilheiro da equipe na temporada anterior. Após reclamar, foi orientado a ganhar a vaga nos treinos e entrando bem nos jogos.

Migué?
Na véspera do jogo contra o Mogi Mirim, pelo Paulistão, Luciano ficou apenas no departamento médico, alegando dores. Ele queria ficar fora do jogo mas, como não tinha lesão, foi “obrigado” a se concentrar. No clube, o discurso é que o jogador tentou dar um “migué” para não jogar. No fim, ele entrou, fez gol e deu assistência para Guerrero.

Desejo de sair
Sem espaço com Tite, ele avisou eus empresários que gostaria de ser negociado. Houve conversas com Flamengo, Fluminense e Santos – esta, antes dos Jogos Pan-Americanos. No entanto, ele foi convencido de que deveria esperar e tentar uma nova oportunidade no Timão.

Paixão e família
O corintiano começou a namorar neste ano e ficou mais “sossegado”. Apaixonado, chegou a fazer uma festa surpresa de aniversário para a namorada no Paris 6. Seus pais, que moram em Goiânia, também ficaram períodos na casa dele, em São Paulo.

Peso da Seleção
Depois de ir bem com a Seleção no Pan, inclusive com um gol de bicicleta, o jogador ouviu que, se não havia sentido a pressão de vestir a Amarelinha, deveria voltar a brigar por espaço no Corinthians. Ele concordou, até porque Love estava em má fase.

Entrevistas
Avesso à entrevistas, o jogador começou a aparecer mais. Mostrou a medalha de bronze do Pan e deu duas entrevistas coletivas no CT Joaquim Grava, além de estar sempre à disposição na zona mista da Arena Corinthians.

MOMENTOS ANTES DE 'VIRAR HOMEM'...

- Depois de estrear por 1 minuto, ele entrou no jogo seguinte, contra o Comercial, e fez dois gols. Repetiu os dois gols contra o Linense e depois Bahia de Feira - tudo isso em menos de um mês.

- Com poucos minutos em clássicos pelo Brasileirão, diante de São Paulo, Palmeiras e Santos, ele voltou a brilhar contra o Goiás. Entrou no intervalo e fez três gols na goleada por 5 a 2, na Arena.

- Titular na ida das quartas de final da Copa do Brasil, contra o Atlético-MG, ele fez gol na vitória por 2 a 0. Na volta, foi reserva nos 4 a 1 que eliminaram o Timão, no Mineirão. Entrou e teve atuação criticada por companheiros, por perder bola importante quando estava 3 a 1.

- Reserva com Tite, ele voltou a brilhar no começo deste ano, no amistoso contra o Corinthian-Casuals. Entrou e fez dois gols na vitória por 3 a 0 na Arena Corinthians. Parecia que deslancharia...

- No seu maior desafio do ano, ele foi titular no duelo das oitavas de final da Libertadores, contra o Guaraní (PAR), em Assunção. Teve má atuação e ainda saiu lesionado no segundo tempo.