icons.title signature.placeholder Alexandre Braz
11/11/2013
16:02

Terminada a manifestação na chegada dos jogadores ao Rio, no fim da manhã desta segunda-feira, os torcedores seguiram para o Engenhão, local onde estava marcado o treino da tarde. Lá, pularam o muro no Setor Sul, entraram no estádio para irem de encontro aos jogadores, que treinavam no Setor Norte.

Para conter a fúria dos torcedores, indignados com a queda de rendimento do time no Campeonato Brasileiro o elenco alvinegro foi conversar com eles. Único jogador a conceder entrevista coletiva, Rafael Marques contou como foi o encontro. O jogador acabou se contradizendo ao dar a opinião sobre o episódio, acabando por admitir que o grupo não gostou da atitude dos botafoguenses. 

- É uma atitude que ninguém gosta, mas é válida. Não gostamos, mas conversamos aqui e houve um consenso, um pacto e contamos muito com eles para esta reta final. Essa não é a atitude da torcida do Botafogo. Tenho certeza que estarão conosco. Eles vieram pedir raça, para suarmos sangue - disse o camisa 20.

Rafael disse acreditar que a cobrança se deve as constantes decepções que o time teve nos últimos brasileiros. E, mais, pela falta de um título importante, já que o último aconteceu em 1995. O atacante afirmou que este ponto foi discutido com os torcedores. Segundo ele, o elenco atual não pode ser cobrado pelo passado de fracassos, mas que está trabalhando para construir um presente de glórias:

- Conversamos com eles. Não participamos do passado do Botafogo. Não queremos apagar o passado, mas temos que viver o hoje, que é chegar a Libertadores e, para isso, precisamos estar juntos. Eles disseram que estarão juntos conosco.

Em quarto lugar na tabela, com 53 pontos, mesma pontuação que o Goiás, o Botafogo enfrenta a Portuguesa, na quarta-feira, às 21h, no Maracanã, pela 34ª rodada. De acordo com Rafael Marques, não há segredos para este jogo.

- Temos que ter atenção e procurar fazer os gols. Não temos que mudar nada, temos que fazer os gols para voltar a vencer e pensar para a frente. É pensar na vitória, não tem outro caminho.


Revoltada, torcida do Botafogo protesta e joga ovos