icons.title signature.placeholder Fellipe Lucena
25/04/2014
16:19

Centro de uma disputa entre os rivais Palmeiras e São Paulo, o atacante Alan Kardec não apareceu para trabalhar nesta sexta-feira. Um dia após abandonar o treino antes da hora determinada alegando uma crise de gastrite, o jogador nem sequer foi à Academia de Futebol do Verdão. O clube diz que o jogador telefonou para o médico Vinicius Martins avisando que não se apresentaria porque o incômodo no estômago aumentou.

O nome do centroavante está em uma pré-lista de relacionados para o jogo deste sábado, contra o Fluminense, no Pacaembu, mas o Palmeiras deve anunciar em breve que ele não participará do duelo. Autor de um gol na vitória por 2 a 1 sobre o Criciúma, na primeira rodada do Campeonato Brasileiro, Kardec não pode estourar o limite de sete partidas se quiser defender outra equipe na competição. Até a parada da Copa, serão mais oito duelos.

O São Paulo está forte na disputa pelo artilheiro, emprestado pelo Benfica (POR) até 30 de junho. O clube do Morumbi formalizou uma proposta de 4,5 milhões de euros (R$ 13,7 milhões), valor que o Palmeiras se dispôs a igualar após ser notificado pelos portugueses. O time do Palestra Itália tem até o dia 31 de maio para exercer sua preferência de compra, mas isso não será possível se não houver acordo salarial com Kardec.

É justamente essa a maior dificuldade dos palmeirenses desde o início das conversas. Os representantes de Alan Kardec já reduziram a pedida ao menos três vezes e se irritaram com a relutância da diretoria para atender às exigências. Pessoas envolvidas na negociação afirmam que o Tricolor oferece valores bem maiores ao atleta, além de luvas ao pai dele, que também se chama Alan Kardec e é seu procurador.