icons.title signature.placeholder Guilherme Cardoso
icons.title signature.placeholder Guilherme Cardoso
23/07/2013
07:33

A brasileira Verônica Hipólito tem surgido como uma das principais revelações do Mundial de Atletismo Paralímpico, em Lyon (FRA). Um dia após conquistar a medalha de ouro nos 200m, categoria T38, ela bateu o recorde mundial nos 100m, na mesma classe, ao ficar com a primeira colocação na semifinal nesta terça-feira.

Em uma disputa acirrada com a britânica Sophie Hahn, a jovem de 17 anos terminou a prova em 13s19. A adversária veio logo em seguida, com 13s25.

Vale lembrar que até então o recorde mundial era da ucraniana Inna Stryzhak. Na Paralimpíada de 2008, em Pequim (CHN), ela fez 13s43.

- Estou cansada ainda. Senti um pouco dor na perna na saída. Acho que a saída não foi das melhores. A Sophie é muito boa também. Todas as atletas vieram pelo mesmo motivo que eu. Estou indo brigar pelo ouro. Quero baixar o tempo também - afirmou Verônica.

*O repórter viaja a convite do Comitê Paralímpico Brasileiro

A brasileira Verônica Hipólito tem surgido como uma das principais revelações do Mundial de Atletismo Paralímpico, em Lyon (FRA). Um dia após conquistar a medalha de ouro nos 200m, categoria T38, ela bateu o recorde mundial nos 100m, na mesma classe, ao ficar com a primeira colocação na semifinal nesta terça-feira.

Em uma disputa acirrada com a britânica Sophie Hahn, a jovem de 17 anos terminou a prova em 13s19. A adversária veio logo em seguida, com 13s25.

Vale lembrar que até então o recorde mundial era da ucraniana Inna Stryzhak. Na Paralimpíada de 2008, em Pequim (CHN), ela fez 13s43.

- Estou cansada ainda. Senti um pouco dor na perna na saída. Acho que a saída não foi das melhores. A Sophie é muito boa também. Todas as atletas vieram pelo mesmo motivo que eu. Estou indo brigar pelo ouro. Quero baixar o tempo também - afirmou Verônica.

*O repórter viaja a convite do Comitê Paralímpico Brasileiro