icons.title signature.placeholder Guilherme Cardoso
14/03/2014
11:29

Quando Mauro Vinícius da Silva, o Duda, começar a correr em busca do salto perfeito na noite desta sexta-feira nos Jogos Sul-Americanos do Chile, em Santiago, poucos vão lembrar, mas o brasileiro vai em busca de sua segunda medalha na história da competição. E a primeira veio literalmente na corrida.

Atual bicampeão mundial indoor no salto em distância - o segundo título veio no último fim de semana, em Sopot (POL) - Duda começou a carreira como velocista. E em 2006, pouco antes de completar 20 anos, fez parte da equipe do revezamento 4x100m nos Sul-Americanos da Argentina, em Buenos Aires. Na ocasião, ele disputava provas dos 100m e 200m e o atletismo também fazia parte do Campeonato Sul-Americano Sub-23.

Além do atual saltador, o time brasileiro tinha André Nilson de Oliveira, Jorge Célio Sena e Bruno Lins. Este último segue como velocista e está na competição no Chile. O quarteto completou a prova em 40s15 e ficou com a medalha de prata.

O ouro foi do time da Venezuela, que marcou o tempo de 39s95. Já o bronze foi da Colômbia, com 40s20.

Se naquela ocasião Duda estava no início de carreira e ainda nem imaginava ser um saltador, a situação agora é diferente. O brasileiro é o favorito a conquistar a medalha de ouro. Mesmo assim, ele mantém os pés no chão. Pelo menos antes da disputa.

- Minha expectativa é saltar próximo dos 8 metros para aproveitar a preparação que fiz para o Mundial. Não tem como falar em resultado, porque acabei de voltar da Polônia, dá uma quebrada na forma, mas quero representar bem meu país. É uma competição importante, a Olimpíada da América do Sul, e eu pedi para participar mesmo antes de saber o que aconteceria no Mundial - declarou o saltador, que fez seu primeiro teste no salto em distância em 2007.

Vale lembrar que a prova de Duda começa às 18h30 (horário de Brasília).

*O repórter viaja a convite do COB