icons.title signature.placeholder Eduardo Mendes, Maurício Oliveira e Thiago Salata
29/06/2014
08:00

Luiz Felipe Scolari considera preocupante a "pane" que a Seleção Brasileira teve em campo após sofrer o gol de empate contra o Chile, no último sábado. Reflexo do emocional, que está sendo trabalho na Granja Comary desde a apresentação, em 26 de maio. O técnico, porém, acredita que o Brasil já usou seu crédito de sorte por se classificar mesmo desperdiçando chances de gol.

Nos 120 minutos de jogo contra o Chile, a equipe bateu seu recorde finalizações em um jogo na Copa do Mundo: foram 23 chutes, sendo que Cláudio Bravo, goleiro chileno, realizou seis defesas. O Brasil finalizou 14 vezes cada nos jogos contra Croácia e México e 12 diante de Camarões na primeira fase. A equipe tem oito gols marcados em quatro partidas.

- Quem não aproveita duas, três oportunidades, como a gente não aproveitou, pode pagar caro. Quase pagamos caro aos 118 minutos, com a bola na trave - disse Felipão, referindo ao chute do chileno Pinilla no fim da partida.




Apesar de contar com dois dos melhores zagueiros do mundo, a preocupação com o sistema defensivo é uma constante desde o início da preparação. Felipão não gostou nem um pouco de dar um gol ao Chile após cobrança de lateral mal executada por Marcelo na defesa.

- Nós fizemos o gol, depois tomamos de lateral, que não se admite em nível mundial como o nosso. Tivemos mais chances de fazer, não fizemos por precisão demais, detalhes. Aí se corre mais riscos - comentou Scolari.

Julio Cesar chorou antes das penalidades, ao receber mensagens de apoio dos jogadores. Vários atletas "despencaram" em campo ao fim dos pênaltis. Todos admitem que a pressão é grande e isso tem reflexo em campo, como aconteceu após o empate do Chile no Mineirão.


- Claro que preocupa. A equipe é nova. Mesmo os mais experientes sentem em uma Copa do Mundo. Se disser que não sente está mentido. É um emocional diferente, não é jogo comum. Temos muita gente nova, vai acrescentando experiência - disse Felipão, que citou Willian, meia que errou um pênalti.

- O Willian bate bem, foi lá e errou. Isso vai acrescentar algo para ele. Vamos ver se a gente comete menos erro por falta de experiência nos próximos jogos. Podemos não ter essa sorte de novo aos 118. Nós temos uma boa seleção. Não somos melhores e nem piores. Hoje, foi importante o que a torcida fez, nos ajudaram em momentos que não estávamos bem - disse Scolari.

Após a classificação, Felipão liberou os atletas. A reapresentação acontece às 11h desta segunda, na Granja Comary.