icons.title signature.placeholder Eduardo Mendes
03/12/2013
09:04

Embora os valores que envolvam a transação de Giuliano possam dificultar o retorno para o Brasil, o meia encontra-se em rota de colisão com Dnipro. E o desejo do jogador em voltar foi fomentado por uma recente investida do Santos.

O Peixe iniciou conversas com o clube ucraniano e chegou a um valor máximo de sete milhões de euros (R$ 22,3 milhões), que foi recusado. O clube já havia tentado a contratação na janela de agosto, mas também não obteve sucesso.

Foi então que Giuliano escreveu uma carta ao presidente do clube, manifestando a vontade de jogar novamente no futebol brasileiro. Recebeu como resposta que só sairá negociado em definitivo pelo valor estipulado pelos ucranianos. Desde então, o meia ganhou quatro advertências.

E MAIS
> Moreno é preterido novamente e deve sair do Flamengo
> À espera de reforços para a Liberta, Jayme garante: 'Tem de se enquadrar'
> Claudinei defende Cícero e entende cobrança feita à diretoria do Santos
> Artilheiro do Santos, Cícero marca mais dois e leva o Cara da Rodada

Apesar da insatisfação, o meia tem participado dos jogos do Dnipro na temporada. Foram 14 atuações desde julho, três gols marcados e três assistências.

Negociado no início de 2011 por dez milhões de euros (R$ 31,9 milhões), Giuliano teve dificuldades de adaptação na chegada, mas depois se ambientou ao clube. Em agosto deste ano, ele atingiu a marca de 100 partidas pelo Dnipro. Até agora, foram 110 partidas, 17 gols e 17 assistências.

Curiosamente, além de Giuliano, Diego também está na pauta de reforços do Santos para 2014. Diferentemente do Flamengo, porém, os santistas já têm conversas há mais de um mês com o pai e agente do jogador, Djair Ribas.

O Peixe tenta antecipar a chegada de Diego para janeiro sem pagar a quantia exigida pelo Wolfsburg. O Santos já havia procurado o jogador também no meio do ano.