icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
02/07/2014
18:17

Destaque na base do Fluminense em 2008, o meia Raphael Augusto foi promovido ao time profissional no seguinte. Ainda em 2009, o jogador entrou no segundo tempo da decisão da Sul-Americana daquele ano, diante da LDU. Depois, o jovem não teve mais chance de jogar e acabou deixando o Tricolor sendo emprestado a clubes pequenos do Rio e posteriormente ao exterior. Após passagem de destaque destaque pelo Legia Varsovia (POL), Raphael Augusto espera escrever nova história no Flu.

- Tinha um objetivo e consegui jogar aquela final em 2009. Fiquei um pouco assim de não voltar com a equipe profissional na pré-temporada em 2010. Fiquei triste, mas tudo tem um lado positivo e aprendi muita coisa depois. Hoje sou muito mais maduro, mais experiente e por um lado foi bom e não tenho nada de mágoa. Se Deus quiser vai ser diferente porque é um objetivo que eu tenho - afirmou.

Ciente da forte concorrência que enfrentará na briga por vaga no meio-campo, Raphael Augusto prefere não escolher uma posição preferida. Destaque nas categorias de base como segundo volante, o jovem avançou para condição de meia nos profissionais. Após passagem no exterior, onde jogou até mesmo como ponta, deixa a decisão nas mãos do técnico Cristovão Borges.

- Comecei jogando como segundo homem e depois fui pra frente um pouco e antes de ir pra Polônia estive nos EUA e joguei como segundo homem avancei um pouco. Tenho essa facilidade de jogar ali no meio e como disse, onde o professor me colocar vou fazer essa função - analisou.