icons.title signature.placeholder Guto Mariano
11/07/2014
20:00

O presidente do Vasco, Roberto Dinamite, foi o convidado especial para acompanhar um filme em homenagem ao Cruz-Maltino, que narra o Vasco da era Dinamite. Em evento realizado na noite da última quinta-feira, na Casa O Globo, no Parque da Bola, localizado no Jockey Club do Rio, o mandatário de São Januário aproveitou para comentar a respeito do atual momento que vive o futebol brasileiro.

Ao ser questionado se os clubes do Brasil enfrentam dificuldades para conseguir blindar as revelações do assédio europeu, Dinamite foi enfático ao dizer que isso é um problema que vem desde a formação de base do atleta.

- Existe uma dificuldade muito grande em segurar um garoto no clube. Há pessoas que começam a ajudar o menino quando ele ainda tem 12, 13 anos de idade. Aí você tem a fatia que é do clube formador, e uma fatia maior ainda do agente, ou quem ajudou o jogador desde cedo. Ou seja, quando o garoto começa a se destacar no profissional, fica difícil mantê-lo em razão dessas etapas - disse.

O presidente cruz-maltino, no entanto, afirmou que é necessário que haja uma relação do clubes, não só com o jogador, mas também com os familiares. De acordo com Dinamite, esse é um trabalho que já vem sendo realizado na base vascaína.

- Isso é um processo que já está sendo feito no Vasco, uma relação, não só com o atleta, mas também com a família do jogador, para que tudo possa ficar mais direcionado entre as três partes: família, atleta e clube - finalizou.