icons.title signature.placeholder Luiz Gustavo Moreira
18/03/2014
18:12

A derrota para o Independiente del Valle, na última quarta-feira, por 2 a 1, após duas expulsões no segundo tempo - Bolívar e Edilson - serviu para que o elenco do Botafogo colocasse a cabeça no lugar e recebesse uma maior atenção dos psicólogos do clube. E o trabalho deixou os jogadores tranquilos, de acordo com o zagueiro Dankler.

- O trabalho durante a semana foi muito bom. O time está focado, bem psicologicamente e muito mais tranquilo. Vamos jogar dentro de casa, com o estádio lotado e vamos fazer o que estamos fazendo dentro de casa na Libertadores. Queremos ir bem e conquistar mais uma vitória para ficar perto da classificação para as oitavas de final - afirmou o zagueiro, em entrevista ao LANCE!Net.

Novamente "na fogueira", Dankler lembrou da sua primeira partida com a camisa do Glorioso, quando substituiu Bolívar em plena Copa do Brasil, contra o Flamengo, pelas quartas de final da competição, no ano passado. O defensor disse que ficou mais nervoso naquela ocasião do que nesta terça-feira:

- Fiquei mais nervoso naquele jogo. Principalmente pelo fato de estar afastado do futebol há um ano. Foi um momento chave para a minha carreira e para a minha vida. Agora teremos mais um jogo de suma importância e estou muito mais focado e confiante. Vamos fazer uma ótima partida contra o Independiente del Valle.

Confira um bate-bola com Dankler, em entrevista ao L!Net:

1) Qual a expectativa para a partida da noite desta quarta-feira, contra o Independiente del Valle?

R: É um jogo muito importante, de Libertadores, e que qualquer atleta tem vontade de jogar. Já substituí o Bolívar outras vezes e pude corresponder. Espero fazer o meu trabalho da melhor forma possível de novo.

2) Acredita que terá problemas de entrosamento com o Dória?

R: Não teremos problemas em relação a isso. Já jogamos juntos no ano passado e no Carioca, além de treinarmos juntos. Estamos bem entrosados.

3) O Botafogo atualmente tem seis zagueiros no elenco (Bolívar, Dória, Dankler, André Bahia, Matheus e Mario Risso). Como é essa disputa por vaga com eles?

R: É uma disputa sadia e tranquila, como outra qualquer. Cada um está procurando seu espaço e quer aproveitar cada chance. Nos damos muito bem.