icons.title signature.placeholder Bruno Quaresma e Marcio Porto
26/03/2014
08:02

Ninguém no São Paulo hoje representa mais o renascimento da equipe do que o atacante Osvaldo. Ele passou praticamente o ano passado inteiro sem fazer um gol sequer, chegou ao ostracismo no grupo, mas agora vibra com retomada da confiança, titularidade e felicidade. Tudo isso simbolizado na pele do pequeno Bernardo, perto de dois meses de vida.

O nascimento do garoto, no dia 31 de janeiro, significa uma mudança radical na situação do camisa 17. De lá para cá, ele virou o líder em assistências do grupo, se firmou como um dos destaques da equipe e nesta quarta-feira é uma das armas de Muricy Ramalho para passar pelo Penapolense. Às 22h, no Morumbi, o Tricolor tenta uma vaga nas semifinais do Campeonato Paulista, em jogo com transmissão em tempo real pelo LANCE!Net.

A reviravolta não foi fácil. Osvaldo nem gosta de lembrar do fardo que carregou. Mas brinca.

– A importância do Bernardo é 10. Costumo até brincar com minha esposa, que na época que passei o momento difícil, eu engravidei com ela. Estava pesado dentro de campo, infeliz. Agora, voltou a dar tudo certo – declarou, em entrevista ao LANCE!Net.

É com esse espírito de nascimento e renascimento que o Tricolor entra na fase final do Paulista. Sem vencer a competição desde 2005, o clube chega às decisões em momento de reconstrução, iniciado desde a chegada de Muricy, ano passado.

A melhora de Osvaldo faz parte desta retomada do time, que tenta reencontrar o caminho das conquistas, sua marca na década passada.

– A gente vinha com jejum de vencer clássicos e conseguimos quebrar isso contra o Corinthians. Fazia tempo que não ganhávamos títulos e vencemos a Sul-Americana em 2012. Portanto, é uma motivação a mais no Paulista – afirma Osvaldo, autor do gol do último título do clube.

De sacrifício Osvaldo entende. Com ele, deixou a má fase para trás. Nesta quarta, o São Paulo tenta o mesmo.