icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
13/07/2014
11:39

Sandro Meira Ricci foi o árbitro brasileiro na Copa do Mundo e poderia ter sido o escolhido para apitar a final, já que o Brasil não se fez presente na disputa do título. O chefe de arbitragem da FIFA, Massimo Busacca, elogiou a participação de Sandro nos jogos que participou.

- Tomamos uma ótima solução três anos atrás quando fizemos uma troca e apostamos nele. Trabalhou sério e fez um ótimo trabalho, assim como os assistentes. Estamos muitos satisfeitos com o trabalho dele. É um bom exemplo para a América do Sul, onde há bons árbitros. Eles foram exemplares - declarou o dirigente.

Em entrevista ao site da Federação Pernambucana de Futebol, o árbitro Sandro Meira Ricci, avaliou sua participação na Copa e falou sobre seus planos para o futuro.

Como você avalia sua participação na Copa do Mundo?
O retorno que tivemos do Departamento de Arbitragem da FIFA e dos instrutores sobre a nossa participação na Copa do Mundo foi muito positivo. Estamos muito satisfeitos pelo que fizemos nos três jogos em que atuamos e também por termos ficado até o final do torneio mesmo com a presença da seleção brasileira nas semifinais.

Descreva como se sentiu no lance em que a tecnologia da linha do gol foi utilizada pela primeira vez. Chegou a olhar para o telão, quando a imagem mostrou que a bola não entrou no primeiro toque na trave?
No momento do lance, estava totalmente concentrado e quando senti o relógio vibrar, juntamente com meu assistente Van Gasse, confirmei o gol. Como o telão do estádio começou a mostrar que, a princípio, a bola não havia passado a linha do gol, os jogadores de Honduras começaram a reclamar. Decidi, então, consultar os dois assistentes sobre o recebimento do sinal. A resposta positiva de ambos reforçou minha confiança na tecnologia. Logo depois, as imagens mostraram que o gol foi validado corretamente. Sou favorável ao uso da tecnologia. Esse episódio, marcante na história das Copas, veio para mostrar a importância da adoção de um recurso que só tem a contribuir para o esporte.

Quais os planos para o futuro? Pretende apitar outra Copa?
Termino a Copa do Mundo orgulhoso do trabalho que fizemos. Posso falar agora, que todo o esforço, toda a dedicação durante minha carreira como árbitro, e especialmente nos últimos quatro anos valeram a pena. Tive a oportunidade de conviver mais de 40 dias com dois amigos, que são o Emerson e o Van Gasse, e com colegas estrangeiros, quando compartilhamos experiências e aprimoramos nossas capacidades física, técnica, psicológica e social. Mas, sinceramente, depois desse período afastado da minha cidade, meu único plano é voltar para casa e rever minha família.