icons.title signature.placeholder Marcio Porto
23/04/2014
06:03

Juvenal Juvêncio deixou a presidência do São Paulo após oito anos consecutivos, mas seguirá com papel relevante no clube. O Tricolor ainda não confirma, mas Juvenal será nomeado diretor de base na gestão de Carlos Miguel Aidar, no novo organograma idealizado pelo atual presidente.

Aidar já tinha dito que Juvenal continuaria participando da vida ativa do clube, mas ainda não havia decisão sobre a função e o cargo que ele ocuparia.

O ex-mandatário do São Paulo ficará responsável justamente por aquele que foi a menina dos olhos de seus três mandatos: o CFA de Cotia, sede das categorias de base do Tricolor.

A missão, no entanto, não é das mais fáceis. Juvenal será responsável por tentar implantar uma espécie de universidade do futebol, nomenclatura concebida pelo seu sucessor na presidência. Além de deixar Cotia com aspecto muito mais comercial e profissional, o objetivo da diretoria é facilitar a transição da base para o profissional.

A falta de aproveitamento de jovens no time de cima é considerado por Aidar um dos principais problemas do clube atualmente e será essa uma de suas principais missões no comando. O presidente confia na intimidade do amigo Juvenal com Cotia para ter sucesso.

Além de coordenar o carro chefe da base tricolor, Juvenal participará de outros projetos. A parceria com o Shandong Luneng (CHI), por exemplo, pode ser uma delas. O clube chinês acabou de comprar o Centro de Treinamento de Porto Feliz, antes pertencente à empresa Traffic, e quer a ajuda do São Paulo para abrir as portas do futebol na China. Juvenal, em um primeiro momento, hesitou, mas pode aceitar o desafio.