icons.title signature.placeholder João Pires
05/11/2013
10:26

O judô vem sendo uma das modalidades em que o Brasil mais se destaca no cenário internacional, tanto nas categorias adultas, quanto nas de base. No Campeonato Mundial Sub-21, em Ljubljana, na Eslovênia, no mês passado, o país conseguiu sete medalha, número recorde (duas de prata e cinco de bronze).Entre elas, esteve a prata de Samanta Soares, na categoria até 78kg, uma forte esperança do país para o futuro no judô.

Já reconhecida por suas conquistas nacionais e internacionais, Samanta poderia ter tomado outro rumo, nas piscinas, não fossem as mudanças de horário em sua infância que fizeram a atleta trocar a natação pelo judô:

- Eu fazia natação desde pequena e gostava muito, mas nadava pela manhã e estudava à tarde. Com mudanças de horário, eu tive que parar com a natação, fiquei um ano sem fazer nada e engordei. Por isso, com oito anos, quando troquei de colégio, eu começei a praticar judô.

E MAIS:
> Brasil bate recorde de medalhas no Mundial Júnior de judô

Outras edições do quadro Plantando Medalhas:
> Comparada a Daiane dos Santos, Lorrane é esperança para 2016
> Cria da escolinha da mãe, Duda já é campeã mundial no vôlei de praia
> Sem ter passagem pela Superliga, Fernandinho figura na Seleção Sub-23

Atleta do São Caetano atualmente, a judoca de 20 ano já tem um cardápio de conquistas interessantes na carreira. Em seu primeiro Campeonato Mundial de base, em 2009, em Budapeste (HUN), ela faturou uma medalha de bronze no juvenil.

Samanta viveu uma temporada complicada este ano, convivendo com lesões no cotovelo e tornozelo. Mas nem isso foi capaz de frear o talento da judoca, que também foi bicampeã no Pan-Americano Sub-21, em Buenos Aires - la já havia vencido em 2012, em Bogotá (COL). Com os resultados. ela já mira a evolução em torneios adultos.

- Pretendo focar em campeonatos sênior agora, para desenvolver o que falta no judô e começar a somar pontos no adulto. O objetivo é viajar e classificar em competições para entrar no cenário sênior - concluiu Samanta, que já tem uma láurea de prata no adulto, adquirida no Grand Slam do Rio de Janeiro, em 2012, torneio que faz parte do calendário internacional.

Concorrência é forte na categoria

De olho em sua primeira Olimpíada, Samanta Soares terá uma adversária forte em busca de uma vaga nos Jogos de 2016. Em sua categoria, o Brasil já conta com Mayra Aguiar, de 22 anos, bronze em Londres-2012 e líder do ranking mundal até 78kg.

Como apenas uma atleta de cada categoria vai se classifica para competir na Olimpíada, Samanta admite que a missão não será fácil, mas sonha com a disputa:

- A gente que está chegando agora precisa criar mais experiência ainda. A Mayra está muito bem ranqueada. EU penso em 2016, todos tem chances, tudo pode acontecer. Mas se não der, que seja para 2020.

JOGO RÁPIDO

Livro: "Ame o que é seu"
Filme: "Poder Além da Vida". "Eu assisti no Mundial Sub-21 na Eslovênia. A psicologa sugeriu que as atletas assistissem ao filme e eu gostei muito.
Comida: Chocolate
Um dia marcante no esporte: "26 de outubro deste ano, quando fui prata no Mundial Sub-21. Foi uma coisa que eu nem acreditei, não é todo ano que se vai a uma final de Mundial.
Com me vejo em 2016: "Vejo uma atleta forte na disputa, por tudo o que eu trabalhei e vou trabalhar com as pessoas que estão comigo nos treinos. Eles não desistiram de mim e eu também não vou desistir. Dá para chegar com o potencial lá em cima, mas é uma coisa gradativa, pode ser para 2016 ou para 2020. No fim do ano vai ter uma seletiva para entrar no novo ciclo e receber investimento da confederação. Vou participar.

QUEM É
Nome: Samanta de Almeida Batista Soares
Nascimento: 16/07/1993, em São Paulo (SP)
Altura e peso: 1,65m e 78kg