icons.title signature.placeholder Bruno Cassucci
26/02/2015
07:01

Em janeiro, o Santos deu um robusto aumento salarial a Lucas Lima, de cerca de 120%, alçando o meia ao patamar de um dos protagonistas do time. Em contrapartida, exibiu o compromissou de permanência do atleta pelo menos até o meio do ano. O jogador, que vinha insatisfeito com os atrasos de pagamento e sendo procurado por clubes do Brasil e do exterior, concordou em ficar, mas nem por isso deixou de ser assediado por outros times.

Recentemente, o Guangzhou Evergrande, da China, ofereceu cerca de 9 milhões de euros pelo armador. A proposta, no entanto, foi descartada pelo Santos e também não mexeu com Lucas, que, embora fosse ganhar muito mais, entendeu que perderia visibilidade. Quando sair do país, o camisa 20 quer atuar em um grande centro da Europa.

Clubes do Brasil também sondaram os representantes do meia e o Doyen Sports, fundo que detém 80% dos direitos econômicos de Lucas Lima. O Cruzeiro, por exemplo, insistiu para contratá-lo após perder Everton Ribeiro e Ricardo Goulart, mas o compromisso com o Peixe foi mantido.

No entanto, uma eventual transferência no meio do ano não está descartada. Pelo contrário, é o objetivo do Doyen e dos agentes do armador.

Em uma futura venda, o Peixe poderá lucrar com os 10% dos direitos que tem sobre Lucas Lima, além de 20% sobre o que ganhar a Doyen. A outra parte pertence a empresa do representante do jogador, Khodor Soccer.