icons.title signature.placeholder Radar/LANCEPRESS!
07/11/2014
14:38

A eliminação na semifinal da Copa do Brasil, após a derrota avassaladora por 4 a 1, diante do Atlético-MG, ainda vai demorar para ser digerida por grande parte da torcida do Flamengo, que escolheu o meia Mattheus como uma das principais causas para esta derrocada. Em defesa do filho, Bebeto garante que o que estão fazendo com o jovem é covardia. O ex-jogador ainda fala em perseguição.

- Futebol é coletivo. Quando ganha, todos são vencedores, quando perde todos perdem. Essa coisa de querer crucificar um jogador que entrou aos 21 minutos, com o time perdendo de 2 a 1. Não errou nenhum passe, não comprometeu em nada. Estão querendo me atingir? Sinceramente não tem cabimento. Isso é covardia. Nem se colocasse o Messi iria resolver ali. A bola não parava no meio de campo, era ligação direta o tempo todo, chutão. Não tem condição - disse o ex-jogador, à ESPN, que afirma que com o tempo o camisa 31 ainda vai dar muitas alegrias ao Rubro-Negro e já viveu momentos parecidos na carreira:

- O Mattheus está feliz no Flamengo, o Vanderlei colocou ele no jogo porque confia nele, pois acompanha os treinamentos. Entrou bem contra a Chapecoense, todos viram, e ainda vai passar por muitos momentos assim, e ele é um menino que com o tempo vocês conhecerão melhor. Chega cedo nos treinamentos e claro que ele quer continuar, pois está no clube desde sete, oito anos. Eu já fui aplaudido, vaiado, mas nada melhor do que um dia após o outro. Futebol é sacrifício. Ele tem de matar um leão a cada dia por ser meu filho. Só não concordo em colocarem a culpa só nele. Apenas porque o Atlético foi superior.

Ainda de acordo com Bebeto, que já teve passagens por Flamengo, Vasco, Botafogo, Seleção Brasileira, dentre outros, o trabalho do técnico Vanderlei Luxemburgo não pode ser crucificado após esta eliminação.

- O Luxemburgo treinou o Real Madrid, a Seleção Brasileira, é um dos maiores vencedores dessa safra de técnicos no Brasil. O Corinthians também sofreu com isso. O Atlético conseguiu um resultado importantíssimo, foi superior e comandou o jogo. Nem Cristiano Ronaldo também resolveria. Foi uma correria dana, pressão do Atlético. O time deles é uma grande equipe, tem um grande treinador. Não podem crucificar o Luxemburgo. Estavam lutando para não cair - disse.