icons.title signature.placeholder Ivo Felipe
08/12/2013
15:44

As duas vitórias nos dois primeiros jogos do Mundial Feminino de Handebol não escondem: há muito ainda a ser melhorado por parte da Seleção Brasileira. A opinião é das próprias jogadoras, que saíram de quadra insatisfeitas com alguns momentos da partida deste domingo, contra a China. Em especial, na volta para o segundo tempo, quando viu a diferença cair de oito para apenas quatro gols.

Os seis minutos iniciais da etapa final foram alvo de comentários de quase todas as atletas. De acordo com elas, este tipo de problema tem de ser, se não banido, ao menos minimizado para as partidas seguintes, nas quais o Brasil terá adversários mais duros do que China e Argélia.

- Concentração será a chave, com certeza. Temos de conseguir nos concentrar os 60 minutos. Daqui para frente, é isso que vai fazer a diferença. Isso (os apagões) acontece com todas as equipes. Mas temos de diminuir esses apagões. Hoje deu certo, amanhã pode não dar - disse Alexandra Nascimento, responsável por oito gols do Brasil no jogo.

A opinião é compartilhada pela goleira Bárbara. "Vítima" da maioria dos gols chineses no segundo tempo, ela também bateu na tecla da concentração do grupo brasileiro, sobretudo na volta do intervalo.

- Este é um dos pontos que temos de melhorar ainda. Esse apagões têm acontecido com uma certa frequência. Agora, temos de deixar isso no passado e pensar nos próximos jogos - disse a jogadora, eleita a melhor da partida deste domingo, em Nis.

O Brasil volta à quadra apenas na terça-fera, para o duelo diante da Sérvia. A partida é chave para as pretensões brasileiras, uma vez que os dois times lutam diretamente pela primeira posição do Grupo B, que ainda conta com Dinamarca, Argélia, China e Japão.