icons.title signature.placeholder Gabriel Carneiro e Russel Dias
27/02/2015
15:39

O Santos conseguiu evitar que mais jogadores deixassem o clube por meio da Justiça, mas ainda tem que arcar com outros processos. Jogador do Peixe entre agosto e dezembro de 2013, Everton Costa acionou o clube por salários, férias, 13º e bonificações que não foram pagas nos quatro meses em que esteve na Vila Belmiro, e obteve uma vitória em primeira instância, nesta quinta-feira, na 4ª Vara de Santos.

De acordo com o advogado do ex-jogador, João Henrique Cren Chiminazzo, o Alvinegro terá que pagar um valor próximo de R$ 350 mil.

- O Santos deixou de pagar para o Everton as verbas rescisórias, mais multas que cobramos por isso, e conseguimos demonstrar que o direito de imagem era salário também - afirmou.

Everton Costa fez 17 jogos pelo Santos e marcou apenas dois gols neste período. Ele foi bastante contestado em sua passagem pela Vila Belmiro por ter dito na apresentação que "não era de fazer gols". Mantido como titular com o técnico Claudinei Oliveira, desagradou parte da torcida e saiu sem deixar saudades.

Depois do Peixe, o atacante passou pelo Vasco, onde teve diagnosticado, logo em abril de 2014, uma arritmia cardíaca. Neste ano, os empresários do jogador informaram que o retorno ao futebol não será possível.

Depois do anúncio da aposentadoria, o agente Jorge Machado disse que o departamento médico do Santos escondeu uma Doença de Chagas adquirida durante a passagem pelo clube. O Santos negou ter sido negligente com o atleta por meio de nota oficial e ainda chamou o empresário de "leviano" na ocasião.

Depois de parar, Everton começou a trabalhar no escritório de seu empresário.