icons.title signature.placeholder Paulo Victor Reis
29/03/2014
18:04

Apesar do protesto dos jogadores do Botafogo pelos salários atrasados, o presidente Mauricio Assumpção está confiante de que o elenco terá responsabilidade suficiente para seguir com a mesma disposição na Libertadores. Na próxima quarta-feira, o Glorioso encara o Unión Española, às 19h45, no Maracanã, num jogo que pode garantir a classificação e o primeiro lugar do Grupo 2 ao Alvinegro.

- Nós temos um grupo diferenciado. Os jogadores têm responsabilidade. Eles não são levianos. . Eles têm um comprometimento com a torcida. Ano passado, enfrentamos situação parecida às vésperas de uma semifinal do Estadual e fomos campeões - lembrou o mandatário alvinegro, que falou também da grande expectativa do clube conseguir reestabelecer o Ato Trabalhista que impediria a penhora de receitas que tanto dificulta as finanças do Botafogo.

- Minha esperança em relação ao Ato Trabalhista é (reestablecer) o mais rápido possível - disse o dirigente, citando também a situação do Proforte - Programa de Fortalecimento dos Esportes Olímpicos - criado para permitir que os clubes possam parcelar suas dívidas com a União.

- Se o Proforte e o Ato Trabalhista não saírem, muitos clubes vão ficar numa situação muito difícil. Desde o início do ano tenho dito e sido um defensor ferrenho do Proforte. Está arriscado eu nem assistir ao jogo do Botafogo na quarta-feira porque talvez eu não consiga voltar de Brasília a tempo por causa da última audiência pública sobre o Proforte. Tem muito presidente que diz pros deputados que o clube está bem, mas não está, é mentira - comentou.