icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
04/07/2014
07:31

Contratado em meio a uma grande pressão interna, o técnico Cristovão Borges teve que trabalhar em modo emergencial. Passado este período, o comandante pôde analisar melhor o elenco tricolor e fazer mudanças. Nesse meio tempo, chegaram reforços, enquanto jovens foram emprestados. Esta redução de elenco foi programada, como ele afirma.

– Foi muito bom e soubemos aproveitar bem isso. Quando cheguei, havia uma necessidade urgente. Precisávamos resolver em termos de performance da equipe e de resultado. Com isso, o grupo que tem boa inteligência e com uma vontade muito grande assimilou bem. Então, não foi difícil entender a maneira de jogar. Com a performance melhor, conseguimos resultados melhores e a equipe ganhou confiança – disse.

A partir de agora, Cristovão busca efetivar de vez na equipe sua mentalidade de jogar. Características estas que ele não faz questão de esconder, como por exemplo a marcação sob pressão e a manutenção da posse de bola a todo custo. Segundo o treinador, as características do elenco ajudam. No entanto, ele alerta que é preciso trabalhar variações. É neste sentido que a contratação de Cícero é exaltada pelo comandante.

– Em relação ao Cícero, ele joga em mais de três posições. A chegada dele tem mais importância porque até então só trabalhamos uma maneira de jogar e temos que ter mais de uma. A maneira de jogar que imprimi é desgastante. E pelo que fizemos neste início, passamos a ser muito mais observados – afirmou.

Apesar da satisfação com o elenco, o treinador afirmou que ainda espera a chegada de novos reforços e cita o nome de Wellington Nem.

– Estamos em negociação para trazer mais algumas peças. Para disputar este campeonato, vamos precisar manter um nível para termos fôlego até dezembro – disse.