icons.title signature.placeholder Bruno Grossi
23/06/2014
10:00

Há pouco mais de um ano, Lucas Evangelista entrava em campo pela primeira vez com a camisa do São Paulo. Então com 18 anos e como meia, o paulista de Limeira foi escalado por Ney Franco como surpresa para duelo com o Atlético-MG no primeiro turno do Campeonato Brasileiro, mas não evitou o empate sem gols da equipe na Arena Independência. Agora com 19 anos e na lateral esquerda, o garoto garante ter amadurecido muito.

- Amadureci muito nesse período. Todo mundo fala que no primeiro ano de profissional você precisa prestar bastante atenção nos jogadores mais experientes e foi isso que procurei fazer aqui. Tem o Rogério Ceni e o Rodrigo Caio, que apesar de ser novo também, me passa muitas coisas - disse o jovem revelado no Desportivo Brasil.

A chance dada por Ney Franco em junho do ano passado fez com que Lucas cavasse espaço no elenco principal e fosse utilizado com frequência por Paulo Autuori. Mesmo com poucas oportunidades com Muricy Ramalho, o garoto vê a diretoria se esforçar para resolver os problemas jurídicos entre seu clube formador e o empresário Wagner Ribeiro e se diz completamente adaptado à realidade de um clube do tamanho do São Paulo.

- Antes de estar no meio do pessoal, eu ficava pensando que seria algo de outro mundo jogar com o Rogério, com o Luis Fabiano e quem sabe agora o Kaká, mas todo mundo é simples e trata a gente com carinho, dá conselhos. Já acostumei. Se pensar muito no nome do pessoal, você fica travado. Tem que se soltar e mostrar seu futebol - receitou.