icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
07/07/2014
12:27

A dez dias do retorno ao Campeonato Brasileiro, José Carlos Brunoro, diretor-executivo do Palmeiras, mostra ansiedade para ver o time de Ricardo Gareca em campo. Confiante de que a mudança de mentalidade na comissão técnica fará o time ter sucesso ainda em 2014, o membro da cúpula falou sobre a chegada de novos reforços e disse que Lucas Pratto, atacante do Vélez Sarsfield (ARG) pedido por El Flaco, está distante. Quanto a Valdivia, o clube recebeu apenas sondagens.

- O Lucas Pratto foi uma situação que falaram muito na mídia, parecia até definida. Nunca foi. Até porque os valores são bastante desconfortáveis, digamos assim. Para nós, seria muita difícil pelos valores altíssimos. Descartado a gente nunca diz que é, porque futebol muda a cada cinco minutos, mas a princípio não temos que contar com ele - afirmou, em entrevista à rádio Jovem Pan.

Pratto já chamava a atenção no clube com Gilson Kleina, e o interesse cresceu quando o treinador argentino, que trabalhou com o atacante de 25 anos, assumiu. Para tê-lo, contudo, o Verdão dependeria da compra de 100% dos direitos do atleta, estimados em cerca de R$ 14 milhões. Para viabilizar o acordo, dependeria de um investidor, que ainda não apareceu.

Com seis estrangeiros no elenco (Valdivia, Mendieta, Eguren, Victorino, Mouche e Tobio), o Palmeiras já tem mais gringos do que o permitido por jogo pela CBF - cinco. Ainda asssim, está de olho na dupla Carlos Carbonero, meio-campo da seleção colombiana, e o atacante argentino Facundo Ferreyra, e não pensa em liberar alguém do sexteto. Só Valdivia, com contrato até agosto de 2015, e de olho em uma transferência para a Europa, corre risco de deixar o clube. Por enquanto, porém, Brunoro diz não ter recebido ofertas.

- Existem algumas sondagens, mas não há proposta. É o que sempre falamos, não tem jogador inegociável, desde que atenda aos interesses do clube e jogador. Ele treina normalmente, e se aparecerem situações, vamos analisar com ele, para as coisas serem super claras, sem problemas. Se for importante para o clube, pode sair qualquer jogador, não só ele - acrescentou.

Quanto a novos reforços, Brunoro adotou o discurso padrão de que a diretoria está "sempre atenta", mas a lateral direita, posição carente desde o início do ano, não deve ter novidades, já que Ricardo Gareca não reclamou das poucas opções. Wendel, Weldinho, Léo Cunha e Ueslei, estes dois da base, trabalharam com o elenco em Atibaia (SP).

- A vinda dele (Gareca) por si só causou uma situação diferente. Foi extremamente positivo pela mudança de filosofia, entendimento, e estamos gostando muito. O posicionamento dele em reuniões, a filosofia dele, que pediu para subir sete garotos da base para olhar, dá uma motivação generalizada no departamento de futebol - completou.