icons.title signature.placeholder Maurício Ferro
23/07/2014
20:04

Cristovão Borges, desde a sua contratação como técnico do Fluminense, imprimiu um estilo de jogo à equipe. Estudioso do futebol e com bons trabalhos recentes no currículo (Vasco da Gama e Bahia), o treinador ganhou elogios de Paulo Angioni, diretor executivo de futebol do clube, que falou com exclusividade ao LANCE!Net.

- Estou tendo o privilégio de conviver com ele (Cristovão) aqui (no Flu) como treinador e sei da grande capacidade que tem. É uma capacidade tão grande que consegue ter uma admiração dupla dos jogadores: a forma de ser e a competência - elogiou.

Para Angioni, que organiza diversos eventos promovendo debates no esporte, como o Footlink, há dois fatores fundamentais para o bom desempenho de um jogador no mundo atual: ser atleta e ser inteligente. Já no caso de um técnico, precisa estar atualizado, requisito mais do que bem preenchido por Cristovão:

- Acredito que, através de discussões, fazemos entender que é preciso que os profissionais de futebol estudem mais, tenham capacitação. Não adianta apenas ser uma pessoa que jogou futebol e que tem um currículo grande como treinador para ser sempre atualizada. Se não estudar, não adianta. Temos, hoje, alguns grandes jogadores que foram estudar e que estão na mídia comentando de forma magnífica. Outros estão gerenciando equipes de futebol, outros sendo treinadores. Aqui mesmo no Fluminense há o exemplo do Cristovão, que foi estudar. E estudou muito.

Segundo o dirigente do Tricolor, ser um "agregador" já não basta para garantir o respeito do elenco. Há também que se analisar o "perfil" do técnico, para ver se corresponde ao perfil do clube. Daí a necessidade, sempre frisada por Angioni, de "discutir as ideias antes dos homens". Ou seja, pensar primeiro no que é desejado para, depois, fazer críticas à nomeação de algum profissional.

- Hoje, só sendo agregador, (o técnico) não consegue ter o respeito do jogador. Até consegue, mas para ter um respeito maior, precisa ter um conhecimento daquilo que informa. O jogador de futebol precisa da excelência da beirada do campo. Para isso, precisa discutir - afirmou, para prosseguir: - Quando vejo as pessoas falando em contratar determinado técnico, penso: será que aquele técnico tem o perfil para todos os clubes? Cada clube tem sua cultura, suas raízes. Nem todo clube é bem sucedido com todos os técnicos. Tem técnicos que tem perfis para determinados clubes, e tem técnicos que tem perfis para outros. Não que eles sejam bons em todos. Não é tão fácil assim. Nem todos se adequam.

Cristovão Borges, porém, parece ter se adequado bem até o momento. Qualificado e agregador, o técnico chegou bem credenciado por dois bons trabalhos e não vem desapontando. Junto com seus comandados, ele encara o Atlético-PR neste domingo, às 16h, na Arena da Baixada, em Curitiba. O jogo será realizado com os portões fechados, já que o Furacão cumpre punição.