icons.title signature.placeholder João Pires
icons.title signature.placeholder João Pires
10/07/2013
16:34

Refém de toda a polêmica envolvendo a CBF e a CBBS, o técnico Andrey Valério acusou o problema que infesta o beach soccer no Brasil. De acordo com o treinador, que foi anunciado como o comandante da Seleção de beach soccer pela CBBS, mas a CBF confirmou Júnior Negão no cargo, a empresa de marketing Koch Tavares, que já se aliou à CBF, é a principal responsável.

- A empresa de marketing é o problema. A Koch Tavares leva você para a fonte e te deixa com sede. Ela vende os patrocínios, mas repassa apenas uma parte para a CBBS. A empresa tem que trabalhar para promover o produto e não o produto (a Seleção) estar sujeito aos desejos da empresa - disse Andrey, indignado com a empresa.

A fim de ver uma solução rápida para o problema, já que restam cerca de dois meses para a Copa do Mundo de beach soccer, Andrey já se mostrou a disposição para deixar o cargo:

- Se for pelo bem do esporte, que assuma outro em meu lugar. É triste e preocupante este momento. Eu não faço questão que seja eu o técnico, só quero o melhor para o beach soccer. Estou aguardando um posicionameto e estou preparado para treinar. Isso tem que ser definido até o final do mês - completou.

O LANCE!Net tentou obter um posicionamento da Koch Tavares até o fechamento desta nota, mas a empresa segue optando pelo silêncio.

Refém de toda a polêmica envolvendo a CBF e a CBBS, o técnico Andrey Valério acusou o problema que infesta o beach soccer no Brasil. De acordo com o treinador, que foi anunciado como o comandante da Seleção de beach soccer pela CBBS, mas a CBF confirmou Júnior Negão no cargo, a empresa de marketing Koch Tavares, que já se aliou à CBF, é a principal responsável.

- A empresa de marketing é o problema. A Koch Tavares leva você para a fonte e te deixa com sede. Ela vende os patrocínios, mas repassa apenas uma parte para a CBBS. A empresa tem que trabalhar para promover o produto e não o produto (a Seleção) estar sujeito aos desejos da empresa - disse Andrey, indignado com a empresa.

A fim de ver uma solução rápida para o problema, já que restam cerca de dois meses para a Copa do Mundo de beach soccer, Andrey já se mostrou a disposição para deixar o cargo:

- Se for pelo bem do esporte, que assuma outro em meu lugar. É triste e preocupante este momento. Eu não faço questão que seja eu o técnico, só quero o melhor para o beach soccer. Estou aguardando um posicionameto e estou preparado para treinar. Isso tem que ser definido até o final do mês - completou.

O LANCE!Net tentou obter um posicionamento da Koch Tavares até o fechamento desta nota, mas a empresa segue optando pelo silêncio.