icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
07/02/2015
19:06

Um dos assuntos comentados na coletiva de imprensa realizada após as eleições foi o naming rights da Arena Corinthians. Mesmo após oito meses de sua inauguração e muitas especulações sobre o acordo, o estádio corintiano continua sem o investimento de uma empresa para nomeá-lo. Andrés Sanchez, maior responsável pelo estádio, voltou a falar em 'questão de tempo', como virou praxe em suas declarações sobre o assunto.

- Tem duas ou três empresas negociando e o acordo é questão de tempo. Está atrasado pois não é qualquer empresa que pode pagar o que o Corinthians quer. Mas vamos fechar um acordo e o pontapé será muito bem dado - afirmou o deputado federal, que não vê prejuízo com sua ausência do dia a dia da Arena Corithians.

- Tem uma equipe de profissionais trabalhando. Não é preciso estar no dia a dia. O macro podemos resolver aqui do Parque São Jorge mesmo. O Roberto vai estar a par de tudo. Quando precisar de mim, vou estar a disposição. São amigos, todo o mundo tem que trabalhar em prol do clube - completou.

Após ser eleito presidente do Corinthians, Roberto de Andrade deu coletiva de imprensa ao lado de seus dois vices - Jorge Kalil e André Luiz Oliveira -, e Andrés Sanchez, que foi o idealizador da chapa Renovação & Transparência, vitoriosa nas quatro últimas eleições.

Questionado sobre o que fazia na mesa e se ajudaria posteriormente, o deputado federal respondeu da seguinte maneira:

- Se eu falar que não vou participar ativamente como todos pensam, não vai adiantar. Vão escrever o que querem. Vou ajudar sempre, independentemente de quem seja o presidente. O máximo que posso fazer é estar sempre presente. Fora isso, vou tocar a vida de deputado federal, que é uma função importante, sempre adorando o Corinthians - lembrou, ouvindo gritos e aplausos no teatro do clube.

Por fim, Andrés Sanchez elogiou a maneira pacífica que transcorreu a eleição no Parque São Jorge neste sábado.

- O mais importante foi que não houve uma discussão, uma briga. Estamos mostrando ao futebol brasileiro como se faz uma eleição democrática. Com diferença, mas com todo o mundo respeitando todo o mundo - finalizou.