icons.title signature.placeholder Bruno Braz
icons.title signature.placeholder Bruno Braz
29/07/2013
19:07

A notícia da morte do equatoriano Christian Benítez, de 27 anos, abalou o atacante Tenório, seu compatriota e grande amigo. Os dois são oriundos do mesmo bairro na cidade de Esmeraldas. Triste pelo ocorrido, o Demolidor pediu ao presidente do clube, Roberto Dinamite, e ao técnico, Dorival Júnior, para ser liberado para ir ao velório do jogador que estava no Al Jaish, do Qatar.

Nas férias, Tenório e Benítez costumavam promover peladas beneficentes em Esmeraldas e suas famílias e esposas eram muito próximas, o que o deixou extremamente abalado.

- Ele era muito meu amigo. Éramos do mesmo bairro, as famílias eram muito amigas, estávamos sempre juntos - disse o Demolidor.

O vascaíno ficou sabendo da morte por volta das 7h30. Por ter jogado muitos anos no Qatar, ele ainda tentou entrar em contato com a mulher de Benítez para ajudá-la, pois sabia que ela não dominava a língua local.

Apesar da tristeza, o atacante ainda conseguiu participar do treinamento do Gigante da Colina, na tarde desta segunda, em São Januário. Mesmo de luto, marcou quatro gols no jogo-treino contra os juniores e não comemorou nenhum.

O corpo de Benítez seguirá do Qatar para o México, onde o equatoriano atuou por muitas temporadas. Em seguida, ele se destinará ao seu país natal. Com a liberação do Vasco, Tenório comparecerá ao velório na cidade de Esmeraldas.

Em sua rede social, o Demolidor prestou uma homenagem ao amigo, postando uma foto de "Chucho" e comentando: "um amigo que jamais esquecerei".

O atacante faleceu por conta de uma parada cardíaca logo após sua estreia pelo Al Jaish (QAT).

A notícia da morte do equatoriano Christian Benítez, de 27 anos, abalou o atacante Tenório, seu compatriota e grande amigo. Os dois são oriundos do mesmo bairro na cidade de Esmeraldas. Triste pelo ocorrido, o Demolidor pediu ao presidente do clube, Roberto Dinamite, e ao técnico, Dorival Júnior, para ser liberado para ir ao velório do jogador que estava no Al Jaish, do Qatar.

Nas férias, Tenório e Benítez costumavam promover peladas beneficentes em Esmeraldas e suas famílias e esposas eram muito próximas, o que o deixou extremamente abalado.

- Ele era muito meu amigo. Éramos do mesmo bairro, as famílias eram muito amigas, estávamos sempre juntos - disse o Demolidor.

O vascaíno ficou sabendo da morte por volta das 7h30. Por ter jogado muitos anos no Qatar, ele ainda tentou entrar em contato com a mulher de Benítez para ajudá-la, pois sabia que ela não dominava a língua local.

Apesar da tristeza, o atacante ainda conseguiu participar do treinamento do Gigante da Colina, na tarde desta segunda, em São Januário. Mesmo de luto, marcou quatro gols no jogo-treino contra os juniores e não comemorou nenhum.

O corpo de Benítez seguirá do Qatar para o México, onde o equatoriano atuou por muitas temporadas. Em seguida, ele se destinará ao seu país natal. Com a liberação do Vasco, Tenório comparecerá ao velório na cidade de Esmeraldas.

Em sua rede social, o Demolidor prestou uma homenagem ao amigo, postando uma foto de "Chucho" e comentando: "um amigo que jamais esquecerei".

O atacante faleceu por conta de uma parada cardíaca logo após sua estreia pelo Al Jaish (QAT).