icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!/RADAR
28/11/2014
17:51

Givanildo Oliveira encerrou a preparação da equipe para a partida deste sábado contra o Sampaio Corrêa, na Arena Independência, às 16h20. O time tem que vencer e secar seus adversários em busca de uma vaga na Série A em 2015. Mesmo precisando de uma combinação de resultados, o time não vai abrir mão de brigar pelo acesso até o final.

Para o jogo, Givanildo Oliveira não terá seu lado esquerdo titular com Raul e Gilson, suspensos pelo terceiro amarelo. Para a posição, a comissão técnica tem o jovem Carlos Renato, mas Givanildo ainda estuda outras variações táticas e pode, inclusive,  usar outra formação em campo.

Antes de seguir para a concentração, o treinador conversou com jornalistas na Sala de Imprensa Paulo Papini, no CT Lanna Drumond, e afirmou que ainda não definiu a equipe. Veja alguns trechos da entrevista:

Escalação

“Ainda não está definido. Sendo o último jogo do ano e da Série B, eu ainda tenho uma dúvida. Vou esperar até o momento antes do jogo, na preleção, porque ali a gente tem que definir e tirar essa dúvida que está na minha cabeça.”

Dispensa de jogadores do Icasa

“É complicado. Eu, inclusive, em nossas conversas digo que é um assunto que eu não gosto de falar muito, isso depende de cada um. Não estou aqui para julgar ninguém, às vezes você fala a respeito de um assunto desses e corre o risco de parecer distorcido, então prefiro respeitar todo mundo. Eu acho que quem entrar lá vai fazer o melhor. Esse é meu pensamento. As outras coisas que se tem falado por aí, não cabe a mim porque eu sou o treinador do América. Eu torço para que o Icasa faça um bom jogo, mesmo se perder porque jogo é assim, mas sempre lutando, com disposição, honrando a camisa do Icasa. Isso que eu torço que aconteça. No mais, temos que fazer nossa parte de novo, com dificuldade, mas fazer nossa parte. Eu tenho passado a eles que se de repente a gente não ganha o jogo e sai os resultados que a gente espera. Na rodada passada, não teve nenhum resultado que ajudasse a gente, todo mundo ganhou, quem sabe se na última não favorece. Então, temos que fazer a nossa parte.”

E MAIS:
> Suspensões devem abrir vaga para Vitor Hugo na lateral-esquerda


Diferença pequena

“É um ponto, basta um empate. Todos os times jogam por dois resultados favoráveis a nós, um empate ou uma derrota. Se tem três resultados possíveis e dois bastam, isso pode acontecer. Daí, a gente ganhando o jogo a gente passa. Vamos ver o  que acontece, não tem outra saída, nesse momento nós temos que jogar e fazer o melhor para ganhar o jogo.”

Obrigação cumprida

“Eles (jogadores) cumpriram a obrigação, eu não posso dizer que não porque eu estaria me contradizendo. E para mim, seria mentira. A gente puxou o grupo e, principalmente, nos últimos jogos que foram muito difíceis e nós ganhamos fora, por isso continuamos vivos na competição. Eu considero que o time fez o precisava, claro que eu quero, e venho falando na cabeça deles a semana toda, que temos que ter a última vitória. Se você ganha o último jogo, nós vamos a 61 pontos, temos que conseguir essa vitória. Mas, tem o outro lado, o que aconteceu da gente perder os pontos no tribunal não volta mais. Vamos trabalhar, primeiro ganhando e depois torcendo por outros resultados. Não tem o que fazer para recuperar os seis pontos. Se existisse o ‘se’ no futebol, nós poderíamos não ter perdido os 6 pontos e iríamos jogar classificados para cumprir tabela. Mas, aconteceu e vamos seguir nossa vida.”

Números excelentes

“A gente sempre fica alegre com um bom trabalho, e eu não sou diferente. São 14 jogos depois do Vila Nova, são nove vitória, quatro empates, sendo desses dois fora o que é difícil, e perdemos só um jogo. Dá quase 75%, é aproveitamento para ser campeão, mais que o Joinville que deve ter por aí. O trabalho vingou e está indo bem, os jogadores ajudaram muito. Eles estavam vindo de uma situação complicada com a perda de 21 pontos e depois  indo buscar aqueles 15, ficando com 6 perdidos, e a situação melhorou, o time engrenou e gente foi ganhando. Olhe essas vitórias fora de casa, é difícil isso na Série B, você conseguir ganhar a quantidade de jogos fora que a gente ganhou. Enfim, o trabalho vingou. Eu lamento de não termos conseguido uma vitória no jogo contra o Icasa quando a gente sofreu o empate, mas em compensação, nós buscamos muitos resultados fora que seriam muito difíceis.”