icons.title signature.placeholder Caio Carrieri
16/11/2013
21:15

O aroma de churrasco domina as narinas na rua, antes mesmo de chegar ao estacionamento do Sun Life Stadium, em Miami (EUA), onde o Brasil faz jogo amistoso com Honduras às 22h30 (de Brasília) deste sábado. A opção de refeição na maioria das vezes reúne amigos e familiares, e não é diferente nos arredores da casa do Miami Dolphins, time de futebol americano.

Com carros estacionados, carne na grelha e música em alto volume, o ambiente está deliciosamente formado a pouco mais de uma hora para a bola rolar no penúltimo amistoso brasileiro de 2013 - o próximo adversário da equipe de Luiz Felipe Scolari será o Chile, na terça-feira, em Toronto, no Canadá.

Camisas dos campeões da América (Atlético-MG) e do Brasileiro (Cruzeiro) estão espalhadas pela arena. Criciúma, São Paulo, Corinthians, Grêmio, Palmeiras e Grêmio também têm seus fãs.

Em clima de festa, brasileiros e hondurenhos trocaram provocações no pré-jogo. A cidade norte-americana, grande reduto de latinos, é palco de um clima amigável entre os algozes de Felipão na Copa América de 2001, na Colômbia - eliminado nas quartas de final - e os verde e amarelos esperançosos pela hexa no Maracanã, em 2014.

Dentro de campo, no entanto, quem vestir a camisa canarinha não deve encarar a partida como amistoso, às vésperas do Mundial. Scolari diz que tem até 20 nomes definidos na sua lista para a Copa do Mundo. Neste sábado, Victor, Maicon, Dante e Bernard, reservas, serão testados. O treinador quer observar o goleiro do Atlético-MG, e os titulares Daniel Alves e Thiago Silva estão com problemas musculares. A escalação deve ser a seguinte: Victor; Maicon, David Luiz, Dante e Maxwell; Luiz Gustavo, Paulinho, Oscar, Neymar e Bernard; Jô.

*O repórter viaja a convite da Gillette