icons.title signature.placeholder Rodrigo Vessoni
24/02/2015
18:26

Jadson é o assunto no Corinthians, como não poderia ser diferente. A iminente saída do camisa 10 para o futebol chinês foi o principal assunto da entrevista coletiva de Gil, que falou aos jornalistas na tarde desta terça-feira, véspera da partida contra o Linense, pelo Paulistão.

O zagueiro, que está na mira do futebol alemão, evitou confirmar a saída do companheiro mas garantiu que deixar o futebol brasileiro não é uma das prioridades. Pelo menos, neste momento.

- Eu vou ficar, como eu disse meu foco é aqui no Corinthians, trabalho para fazer meu melhor. Estou focado, me sinto bem, me sinto feliz. Se aparecer algo bom para o Corinthians e para mim, vamos sentar e conversar - afirmou o camisa 4.

- Futebol é dinâmico, não podemos cravar nada lá na frente. Minha cabeça hoje está voltada para o Corinthians, quero jogar bem em todos os jogos. Em relação à voltar para a Europa, isso não é prioridade agora. Para mim (dinheiro) não faz muita questão, podendo fazer história no Corinthians eleva mais a carreira de um jogador, como eles fizeram aqui em 2012. Já passei algumas coisas na Europa (jogou na França). Dinheiro não traz toda felicidade, isso é uma verdade. É melhor ganhar um pouco menos e ser feliz - completou.


Na sequência, Gil garantiu ainda que seu pensamento é o de 'ser campeão paulista e da Libertadores' e que não há motivo de sentar com a diretoria do Corinthians para falar em renovação de contrato, já que seu vínculo foi estendido recentemente até 2018, mas lembrou que 'jogador gosta de ser valorizado' e que 'se tiver proposta vamos sentar e conversar'.

Por fim, o camisa 4 do Timão fez questão de lembrar que a saída de Jadson não trará um problema para Tite. Segundo ele, o importante é valorizar a força do elenco e os companheiros que poderão entrar em seu lugar. Gil lembrou a própria entrada de Jadson na equipe como exemplo.

- Temos grandes jogadores, saiu o Lodeiro e ele assumiu bem. Se o Jadson sair, outro irá atuar bem em seu lugar, temos um grande elenco. Mas queremos que ele fique, é um grande amigo. Tem jogadores no elenco que podem fazer o que ele (Jadson) estava fazendo. Tem o Danilo, o Petros, tem o próprio Bruno Henrique. Vamos torcer para que o Jadson possa ficar, mas teremos bons substitutos em caso de saída dele - concluiu.