icons.title signature.placeholder Eduardo Moura
13/12/2013
16:53

Alpinistas que fazem a colocação da membrana que envolve a cobertura do Estádio Beira-Rio estão em greve. Os brasileiros contratados pela Soluções de Engenharia e Projetos das Américas (Sepa) iniciaram uma paralisação há cerca de 25 dias que pode ser engrossada pelos estrangeiros envolvidos na obra a partir de segunda-feira, segundo Telmo Felipe Neto, um dos trabalhadores que faz parte da greve. O pedido é que os salários sejam pagos adiantados para que os 12 alpinistas retomem as atividades.

Os operários reclamam do atraso salarial, de descaso da empresa e da Andrade Gutierrez quanto ao alojamento, de recusa da empresa de pagar alguns encargos trabalhistas, como insalubridade, e afirmam "não acreditar" mais na Sepa. A promessa era que o salárioa fosse depositado ainda nesta sexta-feira - a empresa avisou sobre o depósito aos funcionários, que receberam apenas o referen aos primeiros dias de trabalho.

Além dos 12 brasileiros, outros 60 estrangeiros trabalham na obra: 51 ucranianos e 9 alemães. Por conta disso, a instalação das membranas não foi comprometida. Telmo, porém, afirma que os gringos também pedem melhorias e pagamento adiantado.

- Passamos que não confiamos mais na empresa. Pedimos o serviço todo adiantado. Não acreditamos que isso vau ocorrer, não parecem querer. Tem que trocar a estadia, moramos no lado de uma escola de samba, que fica com música alta sexta, sábado, domingo e segunda. Fica complicado fazer o trabalho sem descansar direito. Não querem pagar também nossos 30% (insalubridade) - comentou Telmo ao LANCE!Net.

Operários trabalham nas alturas e reclamam de condições de descanso no alojamento (Foto: Eduardo Moura)


Os alpinistas foram contratados para 90 dias de serviço, até fevereiro do próximo ano. Não receberam nenhum centavo até o depósito de hoje, garantem. Reivindicam também uma passagem para voltar para casa no recesso de fim de ano dado pela empresa.

- O dono da empresa nos ligou e afirmou que fez o depósito. Mas entrou só uma parte referente aos dias que trabalhos, no início. Queremos receber os meses todos para trabalhar. Se nos pagarem o atrasado, voltamos para casa e deu - explicou.

A Sepa não quis se manifestar de maneira oficial sobre o caso. Já a Andrade Gutierrez se posicionou por meio de nota oficial e garante que está conversando para resolver o problema. E que o Beira-Rio será entregue no tempo acordado - isto está previsto para o final de dezembro.

CONFIRA A NOTA OFICIAL:

A Andrade Gutierrez afirma que está tratando da questão internamente com a empresa contratada para o serviço. Certa de que não está em débito com suas obrigações, a AG ressalta ainda que o ritmo das obras segue conforme o cronograma e esse fato não provocará atraso na conclusão do estádio.

Neste momento, a construtora se reserva o direito de não comentar mais o assunto, pois seu foco principal é resolver qualquer eventual falha de comunicação com os funcionários e seguir o cronograma da obra.

Alpinistas usam redes de proteção e ficam presos à estrutura metálica da cobertura (Foto: Eduardo Moura)